Fed deve manter taxa de juros enquanto problemas persistem

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 22 de setembro de 2002 as 19:54, por: cdb

O Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano, deve manter a taxa de juros nos níveis mais baixos em 40 anos esta semana devido aos receios com a saúde dos EUA, apesar de sinais de sólida recuperação econômica.

Muitos economistas acreditam que a economia dos EUA vai registrar um respeitável crescimento de mais de três por cento para o trimestre que termina em setembro. Mas que o crescimento reflete uma explosão dos gastos do consumo e que alguns receios ainda persistem.

“No momento as montadoras de veículos e os financiamentos para moradias estão fazendo o trabalho para o Fed”, disse Ethan Harris, economista-chefe no Lehman Brothers, referindo-se à oferta de juros zero pelas fabricantes de carros e menores taxas de hipoteca em décadas –fatores que motivaram a ampliação dos gastos.

Apesar de os consumidores estarem gastando mais, o mundo corporativo ainda não dá sinais de melhora.

“Ainda que você tenha satisfação do lado do consumidor, você não vê qualquer criação de momento na economia porque os negócios simplesmente não estão respondendo”, disse Harris.

Harris disse que o Fed irá manter a taxa de juros durante reunião na terça-feira, mas ele pensa que o banco central norte-americano eventualmente possa ser forçado a reduzi-la novamente.

A taxa de juros norte-americana está em 1,75 por cento desde dezembro do ano passado, patamar estagnado após 11 cortes de juros pelo Fed. No começo de 2001, a taxa de juros era de 6,5 por cento.

Apesar de Harris não estar sozinho ao levantar a possibilidade de um corte na taxa no futuro, o número de economistas que vislumbram essa possibilidade está definitivamente menor. Muitos acreditam que os consumidores continuarão a orientar o crescimento econômico durante tempo suficiente até que o mundo corporativo volte à cena, apesar da profunda queda que está ocorrendo no mercado acionário.

Tal visão é ecoada por oficiais em Washington.

“É uma estrada instável de recuperação. Não é um foguete atingindo a lua”, disse na semana passada o secretário do Tesouro norte-americano, Paul O’Neill.

Nenhuma das 22 maiores empresas de Wall Street que lidam diretamente com o Fed esperam alteração na taxa de juros na reunião de terça-feira.