Fazendas no Mato Grosso do Sul são invadidas por índios

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 4 de janeiro de 2004 as 19:44, por: cdb

Pintados para a guerra e gritando palavras de efeito em idioma nativo, dezenas de índios da nação kaiowá-Guarani invadiram mais duas fazendas no Mato Grosso do Sul, na região do município de Iguatemi, extremo sul do Estado, divisa com o Paraguai, onde reivindicaram uma área de quase 10 mil hectares que afirmam pertencer aos seus parentes antepassados.

As invasões começaram no último dia 22, quando tomaram conta da Fazenda São Jorge, antiga Agrolak, em seguida entraram nas fazendas Paloma e Mato Sujo. Neste sábado e domingo, durante a madrugada, tomaram o sítio São Joaquim e a fazenda Brasil 2.

Na invasão de ontem os índios expulsaram os funcionários da Fazenda Brasil 2, destruíram 40 alqueires de plantação de mandioca e mataram cinco vacas, conforme boletim de ocorrência policial feito pelo produtor rural Alberi Lima, proprietário da fazenda.

No sítio São Joaquim, os índios fizeram reféns dois idosos, proprietários da área, cercando a sede do sítio e, até o final da tarde deste domingo, mantinham o casal amarrado em um galpão.

Os quatro caciques que comandam a série de invasões disseram que estão recuperando as terras tomadas pelos brancos há 50 anos e que continuarão avançando até que outras cinco fazendas sejam ocupadas pelos kaiuwá-guarani.

Eles afirmam que os imóveis estão situados entre as cidades de Iguatemi e Japorã, sendo as fazendas Chaparral, Indianópolis, Princesa do Sul, Remanso e São Pedro. A Funai aguarda conclusão do processo de desapropriação da área em conflito, baseada no laudo elaborado pelo antropólogo Fábio Moura que confirma que o local tenha sido terra indígena.