Fãs prometem vigília de apoio a Michael Jackson

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 22 de novembro de 2003 as 09:57, por: cdb

Fãs de Michael Jackson estão planejando realizar uma vigília com luz de velas para demonstrar o seu apoio ao cantor, acusado de ter molestado sexualmente várias crianças.

Segundo websites de fãs-clubes, as vigílias estão programadas para serem realizadas em várias cidades americanas e também em outros treze países neste sábado.

Fãs dizem que as vigílias serão realizadas em locais como Lituânia, Irlanda e Israel.

“Nós queremos que o mundo saiba que nós apoiamos Michael Jackson nesse momento difícil, e nós temos certeza de que a verdade irá trazer a luz a todos”, diz o comunicado de um dos sites, MJJforum.com.

Michael Jackson retornou a Las Vegas – onde filma um especial de TV – depois de ser liberado pela polícia da Califórnia ao pagar uma fiança de US$ 3 milhões de dólares.

Ao retornar a Las Vegas, Jackson dirigiu do aeroporto até o hotel onde está hospedado.

Cerca de 40 fãs se reuniram no local para dar boas-vindas ao cantor, alguns levavam cartazes dizendo “100% inocente”.

Família

Enquanto isso, a família de Michael Jackson anunciou publicamente seu apoio ao cantor.
O irmão do cantor, Jermaine Jackson, disse à rede de televisão CNN que “toda a família apóia Michael 100%”.

“Eu fico pensando se alguém poderia ter colocado uma armadilha para ele e escondido evidências falsas em sua casa”, teria dito mãe de Michael Jackson, Catherine, à revista alemã Bunte.

Catherine também teria afirmado que as acusações teriam motivos racistas e que existiriam duas interpretações da lei nos Estados Unidos, “uma para brancos e outra para negros”.

O rabino Shmuley Boteach, que já foi amigo próximo de Michael Jackson, disse à rede de televisão americana Fox News que o cantor estava sendo demonizado.

– Nós transformamos Michael Jackson em Satã. Ele se tornou Saddam Hussein. Isso não é justo – disse Boteach.

Processo

O processo contra Michael Jackson está sendo conduzido pelo menos procurador que investigou acusações semelhantes contra o cantor há dez anos, Tom Sneddon.

Na época, Michael Jackson negou as alegações, e nenhuma acusação formal chegou a ser feita, já que foi feito um acordo bilionário fora dos tribunais.

Mas leis da Califórnia mudaram desde então e não permitem mais um acordo desse tipo caso as autoridades queiram prosseguir com o caso.

Para cada uma das acusações contra Michael Jackson está prevista uma pena de até oito anos de prisão.