Farc focam em projetos e propostas para alcançar paz

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 19 de outubro de 2012 as 12:07, por: cdb
Esta é a quarta vez que o grupo guerrilheiro e o governo se reúnem para tentar solucionar, através de diálogos, o conflito armado

O governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) iniciaram oficialmente os diálogos de paz em Oslo, na Noruega. O negociador do governo colombiano, Humberto de La Calle, ofereceu e pediu às Farc um “tratamento reciprocamente digno” durante as negociações e afirmou que os diálogos não buscam “convencer” nem “catequizar” as partes, devido às diferenças ideológicas, mas apenas um acordo de paz.

Ao contrário de La Calle, que abordou metas e discussões em seu diálogo inicial, o porta-voz das Farc nas negociações, Iván Márquez, versou sobre a atual conjuntura econômica do conflito e destacou nomes de empresários e dirigentes políticos que estariam por trás dos interesses de terras.

Em seu discurso de abertura, Márquez também justificou a existência do grupo guerrilheiro e criticou o projeto de concessão de terras a vítimas de conflitos armados, implementado pelo governo.

De acordo com o representante do grupo, esse tipo de ação busca a “estrangeirização” da ocupação de terra, despertando o interesse de mineradoras multinacionais e, no geral, “o capital”, o que agravaria a violência e os confrontos armados.

Esta é a quarta vez que o grupo guerrilheiro e o governo se reúnem para tentar solucionar, através de diálogos, o conflito armado que vivem há 50 anos. A partir de 15 de novembro, as mesas de negociações serão transferidas para Cuba.