Farc confirmam a libertação de três reféns

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de dezembro de 2007 as 10:45, por: cdb

Após o anúncio, na quarta-feira à noite, que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) adiaram para esta sexta-feira a libertação de reféns em seu poder, chegou-se a cogitar – nos meios diplomáticos – que a operação somente aconteceria após o Ano Novo. Em contato com o comando da guerrilha, no entanto, autoridades venezuelanas confirmaram, no início da manhã desta quinta-feira, o fim do cativeiro de três reféns colombianos.

Assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia participará, nesta sexta-feira, da entrega de três reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), negociada pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Garcia será o representante brasileiro num grupo de observadores formado ainda por Venezuela, Argentina, Equador, França, Bolívia e Cuba.

A idéia inicial, segundo Garcia, era fazer a recepção dos reféns nesta quinta-feira. O esquema logístico foi montado para que os representantes estivessem em Caracas ao meio-dia (horário local, 14 horas de Brasília). Mas, dada a magnitude da operação, ela foi atrasada em 24 horas, pelo menos. A libertação dos reféns foi autorizada pelo presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, nesta quarta, após o venezuelano Hugo Chávez anunciar que estava tudo pronto para a operação.

Os reféns são: a assessora da ex-candidata à presidência da Colômbia Ingrid Betancourt, Clara Rojas; o filho de três anos da assessora e a ex-deputada Consuelo Gonzáles. Consuelo foi sequestrada em 2003. Clara, em 2002. Seu filho, Emmanuel, é fruto de relação com um integrante das Farc e nasceu no cativeiro.

Os outros negociadores internacionais são: pela Venezuela, o ex-ministro do Interior e da Justiça Ramón Rodrigo Chacín, que vai coordenador a operação; pela Argentina, o ex-presidente Nestor Kirchner; por Cuba, o embaixador na Venezuela Germán Sánchez Otero; pelo Equador, o ex-ministro do Interior Gustavo Larrea; pela França, o embaixador na Venezuela Hadelin de la Tour-du-Pin; pela Bolívia, Evo Morales já designou um representante, mas ainda não anunciou seu nome.

Embora o local exato seja uma incógnita, Chávez adiantou que os reféns devem ser entregues perto do ponto proposto pelas Farc, a cidade de Villavicencio, no estado colombiano de Meta, no centro do país. No entanto, segundo o próprio presidente, aviões e helicópteros venezuelanos estão a postos, prontos para decolar, em vários aeroportos da Venezuela.

‘Alegria, bênção’

María Fernanda Perdomo, filha da ex-deputada colombiana seqüestrada Consuelo González de Perdomo, comemorou a decisão dos guerrilheiros.

– É uma alegria, uma bênção muito grande. Com a libertação de minha mãe, nossa família finalmente terá paz – disse ela a jornalistas.

María Fernanda e sua irmã, Patricia, somente querem comemorar o Natal e o Ano Novo quando a mãe voltar para casa. A árvore-de-natal na casa da família está cheia de presentes. São dezenas de pacotes acumulados ao longo dos últimos seis anos, em Natais e aniversários.

– Temos muitos presentinhos. São jaquetas, roupas, colares… Vamos abri-los na data em que ela voltar, seja no dia 28 de dezembro, seja no dia 5 de janeiro. Depois de tantos anos separadas, vale a pena esperar um pouquinho mais – comemora.

Agradecimento francês

Presidente francês, Nicolas Sarkozy agradeceu aos seus homólogos venezuelano e colombiano, nesta quinta-feira, as suas diligências para a libertação de reféns detidos pelas Farc, entre os quais se encontra uma franco-colombiana. Segundo comunicado oficial, o presidente francês agradece a Hugo Chávez os “seus esforços e a sua iniciativa” e a Álvaro Uribe o “seu sentido de responsabilidade”.

No comunicado da Presidência francesa destaca-se que Sarkozy felicitou a autorização dada pelo governo colombiano para que as autoridades venezuelanas possam levar a cabo esta “missão humanitária”, na qual participará a Cruz Vermelha.