Famoso ex-hacker Kevin Mitnick é “hackeado”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de fevereiro de 2003 as 14:03, por: cdb

O hacker mais conhecido do mundo sentiu na pele o significado de seus atos. O site de sua nova firma de consultoria de segurança foi invadido, mas Kevin Mitnick considerou o fato “divertido” e não viu necessidade de chamar o FBI.

Mitnick, cuja condenação por atuar como hacker terminou há poucas semanas, reconheceu que a invasão do fim de semana ao site da Defensive Thinking, em Los Angeles, foi na verdade a segunda em pouco mais de um mês.

Os hackers descobriram mesmo uma forma de penetrar no computador que hospeda o site da empresa.

Um hacker que se denomina “BugBear” acrescentou uma página ao site corporativo de Mitnick em 30 de janeiro, com a mensagem “Bem-vindo de volta à liberdade, Mr. Kevin”, e disse ainda que “foi divertido e fácil invadir sua caixa”.

O invasor incluiu uma foto de um urso polar com dois cubos.

Uma outra invasão semelhante ocorreu domingo e foi perpetrada por um hacker do Texas que pediu a Mitnick que o contratasse como responsável pela segurança da empresa.

Em nenhuma das ocasiões os hackers cometeram atos de vandalismo.

Um deles disse num e-mail que não faria isso por respeito a Mitnick, conforme relatou o ex-hacker.

Mitnick disse que não chamou o FBI porque as invasões não causaram perdas financeiras a sua empresa, que anuncia “treinamento e conhecimento para ajudar a evitar o roubo de informações”.

O FBI e o Departamento de Justiça não comentaram o caso.

Constrangimento

A maioria dos especialistas em segurança considera o risco dessas invasões um incômodo para empresas e para as agências do governo, pois informações importantes sobre os consumidores costumam ser armazenadas em computadores separados para melhor proteção.

Mas as invasões podem ser constrangedoras para organizações e indicam falta de atenção para os riscos de segurança na Internet.

“Nenhuma informação sobre consumidores foi divulgada nem esteve em risco de ser comprometida”, disse a empresa de Mitnick num comunicado.

A pena de Mitnick, que o impediu de usar a Internet, terminou em 20 de janeiro.

O ex-hacker cumpriu cinco anos de prisão por lesar em milhões de dólares várias empresas, por roubar software e alterar informações dos computadores.

Aqueles que o apóiam, e que durante esse tempo lançaram em centenas de sites a frase “Libertem Kevin”, dizem que seus crimes na verdade não foram tão importantes.

Mitnick afirmou que os hackers que atacaram seu site aparentemente exploraram falhas diferentes no software do servidor de Internet da Microsoft.

O responsável pelo site da empresa não conseguiu reparar as falhas com os programas de correção apresentados pela Microsoft, disse o ex-hacker.

“Não tive tempo de bancar o webmaster, mas parece que vou ter que fazer isso”, escreveu Mitnick em e-mail. “Na verdade, é divertido. Todos os hackers por aí imaginam que podem invadir meu site. Eles são os reis do pedaço”.