Familiares de vítimas britânicas lembram os três anos do 11/9

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 11 de setembro de 2004 as 11:47, por: cdb

O terceiro aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001 será lembrado neste sábado em Londres pelos familiares dos 67 britânicos que morreram nos ataques às Torres Gêmeas de Nova York.

Em memória de seus parentes queridos, as famílias depositarão rosas brancas no jardim que a princesa Ana inaugurou no ano passado em homenagem às vítimas.

O parque comemorativo fica na cêntrica praça de Grosvenor Square, em frente à embaixada dos Estados Unidos, lugar onde, há três anos, se concentraram as manifestações de dor e repulsa observadas após os atentados.

Os restos de uma viga metálica extraída dos escombros das Torres Gêmeas foi colocada no jardim, mas sob a terra porque sua presença parecia ser muito angustiante para os parentes dos mortos.

Alexis Clarke, presidenta do grupo de apoio aos familiares das vítimas “UK 9/11”, afirmou que “as famílias trarão flores e permanecerão no jardim”.

Clarke, que perdeu a filha Suria, de 30 anos, no ataque ao World Trade Center, disse que “algumas famílias foram a Nova York” para prestar tributo a seus seres queridos e que “outras quiseram ficar em casa tranqüilos”.

“Pensaremos nas pessoas que amávamos e que perdemos. Acho que também pensaremos nas outras pessoas assassinadas desde o dia 11 de setembro em atentados cometidos no mundo todo”, acrescentou a presidenta do “UK 9/11”.

O presidente da Comissão Islâmica de Direitos Humanos, Massoud Shdjareh, advogou, por sua vez, para denunciar “neste momento de reflexão” o legado de “violência e discriminação” contra os muçulmanos britânicos observado depois do 11-9.