Família quer que casal de Campinas passe por exames psicológicos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 15 de fevereiro de 2003 as 17:12, por: cdb

Familiares e amigos do casal Alexandre Alvarenga, 31, e Sara Maria Rosolem Alvarenga, 32, pediram publicamente hoje à Justiça de Campinas que submeta os dois a exames psicológicos, para conhecer as razões que os levaram a agredir os filhos de um e dois anos no último dia 2.

Alexandre arremessou o filho J.A.R.A.,1, contra um carro em movimento e agrediu a filha A.R.A., 6, batendo a cabeça dela contra uma árvore, com a conivência de Sara, segundo a Promotoria.

Um exame toxicológico do Hospital Celso Pierro apontou vestígios de cocaína nos organismos de Alexandre e Sara.

A família dos acusados, porém, afirma não acreditar que eles haviam consumido drogas ou premeditado o crime.

“Gostaria de saber dos psicanalistas o que pode ter acontecido, pois eles eram pais maravilhosos. Que seja feita justiça aos dois, que sempre foram perfeitos como seres humanos, mas são acima de tudo humanos. Perfeito mesmo, só Deus”, disse o pai de Sara, Santo Otávio Rosolem, 62.

O advogado da acusada, Pedro Marcelino, vai pedir um laudo psicológico para saber a razão de ela não ter defendido os filhos durante as agressões.

Ainda segundo o pai de Sara, a neta dele diz que ainda ama os pais e quer falar com eles. O bebê agredido está internado no Hospital Mário Gatti. Ele já começa a se movimentar e responde timidamente a estímulos visuais.

“Buscamos todos os motivos e ainda não entendemos [as agressões]. Se o casal cometeu esse ato, isso talvez possa acontecer com qualquer um”, disse José Paganotti Júnior, padrinho de casamento do casal.

Já o amigo Ricardo de Brito disse que Alexandre e Sara o visitaram no dia em que fizeram as agressões e estavam bem, o que torna ainda mais difícil a compreensão da violência.

“O Alexandre até me disse que, a partir daquele dia, procuraria trabalhar menos e dedicar mais tempo à família. Ele queria chegar em casa, poder pôr os filhos no berço e abençoá-los”, afirmou.