Facebook diz que 51% de receitas com publicidade vêm do exterior

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 10 de junho de 2015 as 14:08, por: cdb
O Facebook divulgou seu crescimento regional em termos percentuais, mas esta foi a primeira vez que detalhou as vendas de anúncios
O Facebook divulgou seu crescimento regional em termos percentuais, mas esta foi a primeira vez que detalhou as vendas de anúncios

 

Os mercados internacionais dão mais receitas com anúncios que os Estados Unidos ao Facebook, respondendo por 51 %  das vendas globais de publicidade no primeiro trimestre, sendo que o crescimento na Ásia é o mais rápido no mundo, de 57 %, disseram executivos da companhia à agência inglesa de notícias Reuters.

O Facebook divulgou seu crescimento regional em termos percentuais, mas esta foi a primeira vez que detalhou as vendas de anúncios fora dos Estados Unidos e do Canadá como um percentual das vendas no mundo.

Como os anunciantes, a maior rede social do mundo olha para os mercados internacionais para obter crescimento.

– Os próximos 1 bilhão de consumidores virão desses países – disse Carolyn Everson, vice-presidente global de soluções de marketing do Facebook.

O total de receitas com anúncios no trimestre aumentou 46 %, para US$ 3,3 bilhões, a maior parte das receitas trimestrais de US$ 3,5 bilhões do Facebook. No total de 51%  das receitas com anúncios seriam cerca de US$ 1,7 bilhão para os mercados internacionais. As receitas com publicidade no exterior subiram 36 %  na comparação anual, disse o Facebook.

Enquanto a Europa está crescendo mais devagar que os Estados Unidos, a região da Ásia Pacífico está à frente e é foco do Facebook.

Alibaba

O Alibaba não quer lutar por fatia de mercado nos Estados Unidos, mas em vez disso espera ajudar pequenas empresas norte-americanas a vender mais produtos na China, disse o presidente-executivo da companhia, Jack Ma.

Ma está visitando os EUA nesta semana para explicar a estratégia global do Alibaba e “ajudar a desfazer mal-entendidos” sobre a companhia, disse o porta-voz Greg Jenkins em email.

– Não estamos vindo para cá para competir – disse Ma no Economic Club of New York nesta terça-feira.

A vasta maioria da receita do Alibaba vem de suas plataformas de mercado doméstico predominantes, mas a companhia tem investido agressivamente em diversos setores no exterior.

Ainda assim, a companhia tem adotado uma abordagem conservadora na expansão nos EUA, contrariando especulação da indústria de que a empresa estaria planejando tomar de assalto o solo norte-americano após seu IPO recorde de US$ 25 bilhões em setembro.

– A oportunidade e a estratégia para nós é ajudar pequenos negócios nos Estados Unidos a ir à China, venderem seus produtos para a China – disse Ma.