EZTrade lança plataforma de e-Business em cinco países

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 19 de outubro de 2001 as 14:32, por: cdb

A EZTrade.com – empresa do Grupo ParaRede focada no fornecimento de soluções de e-Business, sediada em São Paulo – anunciou o lançamento de uma plataforma própria para criação de mercados de negócios digitais ou e-Marketplaces, batizada de Global Commerce. A novidade foi desenvolvida no período de um ano por uma equipe de 25 colaboradores e recebeu investimentos de R$ 4 milhões. De acordo com a empresa, o lançamento aconteceu, simultaneamente, no Brasil, Portugal, Espanha, Estados Unidos e África do Sul, países onde o Grupo ParaRede possui operações locais e fará a distribuição exclusiva.

“Com essa solução, criamos uma plataforma de e-Business mais robusta e rápida, com arquitetura modular”, explica o diretor-geral da EZTrade.com, Rui Fontoura. Para o diretor-geral, a Global Commerce está pronta para atender quaisquer setores de atividade, em diferentes idiomas, moedas, taxas e medidas. E se integra facilmente aos diversos sistemas de ERP e bancos de dados. “A EZTrade fará a implementação e adaptação dos serviços às necessidades de cada cliente”, destaca.

O lançamento da plataforma de e-Business Global Commerce vai impulsionar a oferta dos serviços da empresa no modelo ASP. “Acreditamos que a oferta global agregue maior visibilidade à infra-estrutura que mantemos no Brasil, gerando novos negócios em paralelo às implementações da Global Commerce”, afirma.

Para o CEO da Paradigma, Jaime Leonel de Paula Jr., por sua vez, o fornecimento de aplicativos para a plataforma de e-Business da EZTrade.com, junto à parceria de comercialização exclusiva do WBC na Espanha e em Portugal pelo Grupo ParaRede, é positivo para a consolidação da estratégia de globalização da empresa. “O Grupo ParaRede leva os produtos da Paradigma para o mercado externo, desde 1999. Hoje, 20% do negócio da Paradigma está direcionado para fora do País, e acreditamos que a parceria com o Grupo ParaRede contribua para aumentar esse percentual para 30% no próximo ano, e para 50% até o final de 2004”.