Extrema-direita antecipa tentativa de golpe na Venezuela para atingir Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 5 de outubro de 2002 as 18:21, por: cdb

A denúncia de um golpe em marcha na Venezuela para derrubar o presidente Hugo Chávez, cuja eclosão seria antecipada do dia 10 deste mês para amanhã, foi confirmada – com exclusividade para o Jornal do Brasil – na noite desta sexta-feira, pelo ministro das Comunicações daquele país, Aurelio Gil. O objetivo da antecipação seria prejudicar o candidato petista Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro venezuelano admitiu que já há movimentação de tropas golpistas e que confrontos armados podem ocorrer.
– Há um setor da oposição ao presidente Hugo Chávez empenhado na derrubada do governo e sabemos que estão preparando ações armadas com este fim. Órgãos da inteligência do governo tomaram conhecimento de que um objetivo da tentativa de golpe seria o de influenciar as eleições brasileiras. Aurélio Gil foi adiante:

– Lula é um fraterno amigo do presidente Chávez e uma ocorrência desse tipo poderia trazer graves problemas para sua eleição no Brasil.

Partiu do próprio Ministério das Comunicações, no fim da tarde de ontem, uma nota oficial que nega a preparação de um decreto instituindo toque de recolher na Venezuela. O documento, assinado pelo ministro do Interior e Justiça, Diosdado Cabello, cita a denúncia apresentada pelo deputado Rodrigo Cabezas sobre a movimentação golpista.

“Um grupo de deputados, encabeçados por Rodrigo Cabezas, denunciou um plano para se levar a cabo um golpe de Estado e leu um documento segundo o qual ‘grupos minoritários’ teriam a intenção de gerar uma situação similar à de 11 de abril”, diz a nota oficial, referindo-se ao frustrado golpe, há seis meses, no qual rebelados chegaram a prender o presidente Chávez e nomear um substituto à revelia da Constituição.

Na sua denúncia, Cabezas fez menção, inclusive, ao fato de que a antecipação da tentativa de golpe teria como objetivo influir na eleição brasileira e prejudicar o candidato do PT. O objetivo de prejudicar a eleição de Lula, ainda segundo o ministro das Comunicações da Venezuela, “tem o claro objetivo de impedir o avanço democrático na América Latina”.

– São grupos minoritários que tentam, as desesperadamente, impedir que reformas de base sigam adiante na Venezuela. O presidente Hugo Chávez vem tomando uma série de medidas com o objetivo de redistribuir renda e promover a justiça social no país, fato que desagrada às elites venezuelanas. A proximidade de Chávez e Lula, conforme a análise de observadores políticos, poderia ser usada contra o candidato do PT nas eleições, principalmente se surgisse uma situação de conflito na Venezuela – disse o ministro.