Expectativa de vida do brasileiro supera os 70 anos, aponta IBGE

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 1 de dezembro de 2003 as 14:00, por: cdb

A violência e os acidentes, principalmente os de trânsito, matam quatro vezes mais os homens do que as mulheres na faixa dos 20 aos 25 anos de idade. Em 1980, a probabilidade de morte dos homens em relação às mulheres neste grupo era 2,1 vezes maior. Os dados constam das Tábuas Completas de Mortalidade 2002, divulgadas nesta segunda-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e que mostram que, pela primeira vez na história, a expectativa de vida do brasileiro superou os 70 anos.

O estudo aponta que as mulheres vivem em média 74,9 anos, enquanto os homens chegam a 67,3 anos. Para o coordenador de População e Indicadores Sociais do IBGE, Luis Antônio de Oliveira, a diferença na esperança de vida entre homens e mulheres, que no Brasil é de 7,6 anos, deve ser vista como um alerta, principalmente porque está relacionada a situações externas e não apenas a fatores biológicos ou ambientais. – Em quase todos os países do mundo as mulheres vivem mais que os homens, mas no caso brasileiro a diferença é um pouco elevada e explicada pelos altos índices de mortalidade por violência entre jovens de 20 a 24 ou de 20 a 29 anos, do sexo masculino – explicou ele.

Ainda segundo a pesquisa, em 2002, a taxa de mortalidade no Brasil era de 28,4% por mil crianças nascidas vivas, enquanto a média mundial era de 55,6%. Entre os 192 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil ocupava a 100ª posição. O primeiro foi Cingapura, com 2,9% e o último, Serra Leoa, com 177,2%. Dados das Nações Unidas apontam que a mortalidade infantil no Brasil caiu 37% entre 1991 e 2000.