Exército sírio repele ataques de militantes do EI em Aleppo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de agosto de 2016 as 11:34, por: cdb

Os militares dos dois países criaram corredores para saída de civis e combatentes que decidam se render

Por Redação, com Sputnik de Beirute/Moscou:

 

O Exército sírio e as milícias populares repeliram vários ataques terroristas no noroeste e sudoeste de Aleppo, informaram os militares sírios.

– Os combates começaram na noite de domingo. O exército conseguiu repelir o ataque de terroristas na área de Jamiat al-Zahra e um outro no território de uma fábrica de cimento, no sudoeste da cidade – informou o Exército sírio.

De acordo com a fonte da agência, apenas no noroeste foram mortos 35-50 terroristas. Os militantes se retiraram para combater em Kafr Hamrah (no norte) e Khan Tuman (no sul).

O Exército sírio e as milícias populares repeliram vários ataques terroristas no noroeste e sudoeste de Aleppo
O Exército sírio e as milícias populares repeliram vários ataques terroristas no noroeste e sudoeste de Aleppo

No final de julho, a Rússia e o governo sírio iniciaram uma operação humanitária de grande escala em Aleppo. Os militares dos dois países criaram corredores para saída de civis e combatentes que decidam se render. Além disso, o presidente sírio, Bashar al-Assad, prometeu uma anistia aos militantes que no espaço de três meses deponham as armas e voltem à vida civil.

Os terroristas, por sua vez, proíbem os civis de entrar em áreas controladas pelas forças do governo.

Combatentes na Síria

Muitos militantes que combatem na Síria não são norteados por nenhum princípio religioso nem político e não sabem pelo que estão lutando, declarou o ministro da defesa da Rússia, Sergei Shoigu, para a emissora Rossiya 24.

– Se observarmos a composição nacional ou, melhor dizendo, internacional de todos os combatentes (de grupos terroristas), muitos deles terão dificuldade de listar pelo menos cinco cidades sírias. Porque eles não sabem esses nomes. Porque eles nunca se interessaram pelo que estão combatendo. Todos sabem disso. Isso é óbvio – declarou Shoigu.

A Síria, desde março de 2011, vive um conflito militar. Como resultado, segundo a ONU, mais 220 mil pessoas foram mortas. As forças do governo sírio enfrentam bandos armados pertencentes a diversos grupos militares. As mais ativas são as organizações terroristas Daesh e Frente al-Nusra.

Comments are closed.