Ex-chefe guerrilheiro argentino recupera liberdade

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 22 de maio de 2003 as 18:24, por: cdb

O ex-chefe guerrilheiro argentino Enrique Gorriarán Merlo, condenado à prisão perpétua por um violento ataque contra um quartel militar em 1989, recuperou nesta quinta-feira a liberdade graças a um indulto assinado pelo presidente Eduardo Duhalde.

O perdão presidencial incluiu também oito ex-militares – dos quais o mais conhecido é Mohamed Alí Seineldín – e 17 ex-guerrilheiros – entre eles a mulher de Gorriarán, Ana María Sírvori e o ex-sacerdote Antonio Puigjané.

O indulto foi justificado pelo objetivo de “contribuir a recriar um clima de paz social e reconciliação entre os diferentes setores que compõem a comunidade argentina”, afirmou Duhalde.

“Por hora, quero ver minha família e meus amigos”, disse o ex-chefe guerrilheiro a jornalistas ao ser o primeiro a deixar a penitenciária de Villa Devoto, na cidade de Buenos Aires.

Gorriarán Merlo, de 62 anos, é um dos poucos sobreviventes do extinto Exército Revolucionário do Povo (ERP), uma organização armada de esquerda que atuou durante a década de 70.

Foi condenado por encabeçar, junto ao Movimento Todos pela Pátria (MTP), um sangrento ataque a um regimento do Exército em janeiro de 1989. No entanto, foi encarcerado apenas em 1995, depois de ter sido extraditado do México, para onde havia fugido.