EUA vão expor nova resolução aos mebros do Conselho de Segurança

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de fevereiro de 2003 as 19:46, por: cdb

Os Estados Unidos contactarão todos os membros do Conselho de Segurança da ONU e exporão detalhes da nova resolução para a autorização do uso da força no Iraque que o país planeja apresentar na próxima semana, disse hoje, sexta-feira, a Casa Branca.

O presidente, George W. Bush; o secretário de Estado, Colin Powell; o vice-presidente, Dick Cheney; e a conselheira de Segurança Nacional, Condoleza Rice, pretendem conversar com todos os membros do Conselho de Segurança na busca de apoio.

“Há 15 votos. Cada voto é importante”, disse hoje o porta-voz da presidência, Ari Fleischer, que disse que o texto da resolução “continua sendo discutido com os aliados”.

Fleischer informou que o documento será um dos assuntos que será discutido na noite de hoje e amanhã por Bush e pelo presidente do Governo espanhol, José María Aznar, durante as reuniões que manterão no rancho do governante americano em Crawford (Texas).

O porta-voz antecipou que “está pronto” para detalhar qual será o conteúdo específico dessa resolução, mas deixou claro que ela será apresentada na próxima semana.

O objetivo é que a ONU “empreenda ações significativas” se o Iraque se recusar a se desfazer dos arsenais de armas de destruição em massa que Washington acusa o país árabe de ter, acrescentou.

Fleischer insistiu que a resolução seria uma oportunidade final para avaliar a vontade do Iraque de cumprir as resoluções da ONU que determinam o desmantelamento dos possíveis programas de destruição em massa.

Em breves declarações hoje em Crawford, Fleischer negou que Bush esteja buscando uma nova resolução por pressões do presidente do Governo da Espanha, José María Aznar, ou dos primeiros-ministros britânico, Tony Blair, e italiano, Silvio Berlusconi, que apóiam os EUA no tema do Iraque, mas que enfrentam uma forte oposição em seus países.

“Os líderes que se mantêm firmes e fazem o que é necessário para preservar a paz são líderes que atuam no interesse de seus povos”, disse o porta-voz da Casa Branca.

Fleischer também respondeu de forma negativa às perguntas sobre o fato de Aznar ter atuado em sua recente visita ao México como um “emissário” dos EUA e disse que essa viagem faz parte do “contínuo processo de diplomacia” que transcorre em torno da crise iraquiana.

O porta-voz antecipou que, além do Iraque, Bush e Aznar falarão de comércio, de cooperação militar e da ampliação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

O porta-voz disse que Bush falou hoje por telefone com o primeiro-ministro do Kuwait, assim como com o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, a quem reafirmou que os Estados Unidos consideram “importante” o papel do Conselho de Segurança.