EUA recrutam soldados iraquianos para exército

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de julho de 2003 as 17:46, por: cdb

Os norte-americanos começam na semana que vem a recrutar iraquianos e vão treiná-los a partir de agosto para se incorporarem ao novo Exército do país.

Os primeiros mil selecionados vão compor um batalhão de infantaria motorizada, que será a vanguarda do novo Exército iraquiano, disse o general Paul Eaton na quarta-feira. O treinamento começa em 2 de agosto em Kirkuk (norte) e vai até 9 de outubro.

– É a semente das futuras Forças Armadas do Iraque – disse Eaton.

Se houver excedente de voluntários se apresentando nos centros de recrutamento de Mosul, Bagdá, Basra e talvez Arbil, eles serão usados em batalhões futuros. A meta dos EUA é recrutar 40 mil militares em cerca de um ano.

A criação de um novo Exército é, junto com o estabelecimento de um novo governo, uma das principais prioridades dos Estados Unidos depois de derrubarem o regime de Saddam Hussein. O antigo Exército foi dissolvido pelo administrador civil norte-americano em Bagdá, Paul Bremer.

Cerca de 400 mil militares foram demitidos, e vários deles ameaçaram cometer atentados suicidas se a decisão não fosse revista. De qualquer forma, as forças iraquianas já haviam sido dizimadas pela guerra.

Eaton disse que os novos soldados vão vigiar fronteiras, proteger comboios, apoiar os norte-americanos em patrulhas e desativar minas.

– O primeiro deslocamento será de fato sob comando da coalizão liderada pelos EUA – disse um oficial norte-americano à Reuters.

Os recrutas vão receber casa, comida, assistência médica e 60 dólares mensais, benefícios muito atraentes em um país, como o Iraque, com desemprego elevado e sequelas da guerra.

Os candidatos devem ter entre 18 e 40 anos e ficha criminal limpa. Também não podem pertencer aos quatro primeiro escalões do partido Baath, de Saddam, ou ter participado de sua guarda pessoal ou de outras tropas especiais.

Walter Slocombe, que dá assessoria aos militares dos EUA no Iraque, acha que muitos soldados do antigo Exército iraquiano vão se candidatar. Eaton prometeu manter algumas “das grandes tradições do Exército iraquiano que precisam ser preservadas”.