EUA recebe críticas da Rússia por não dialogar com a Coréia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 14 de abril de 2003 as 14:20, por: cdb

O vice-chanceler russo criticou nesta segunda-feira os Estados Unidos por sua falta de disposição de estabelecer conversações diretas com Pyongyang sobre a crise nuclear que ameaça a Península Coreana.

“Os Estados Unidos preferem ficar à margem nas negociações, e deixar que elas sejam lideradas por um grupo de países”, afirmou Alexander Losyukov, segundo a agência de notícias Interfax. “Tal tratamento não tem perspectiva, e não nos envolveremos nisso”.

Os comentários de Losyukov foram feitos apenas dois dias depois de a Coréia do Norte ter demonstrado uma nova flexibilidade em sua posição. A agência estatal de notícias KCNA havia divulgado que Pyongyang “não se aterá a qualquer formato particular de diálogo” caso os EUA “estejam prontos para fazer uma sábia reviravolta em sua política coreana para solucionar a questão nuclear”.

Até agora, Pyongyang insistia em conversações diretas com Washington, enquanto os EUA exigiam que a crise fosse tratada num fórum multilateral.

Losyukov, o especialista de Moscou para a Coréia do Norte, havia expressado recentemente sua crescente frustração com o impasse entre Washington e Pyongyang, e a preocupação de que a crise poderia provocar um novo conflito internacional. Na semana passada, ele afirmou que a Rússia estava buscando um diálogo entre seis partes, incluindo os vizinhos da Coréia do Norte. Ao assinalar nesta segunda-feira apoio à posição norte-coreana, ele poderia estar tentando pressionar por um compromisso por parte dos Estados Unidos.

Ele disse que a diplomacia russa poderia ajudar na resolução da crise apenas se os EUA demonstrarem “uma real disposição para a negociação”, divulgou a Interfax. Segundo ele, Moscou já informou diversas vezes sobre sua disposição mas nunca recebeu uma “resposta pragmática” dos americanos.