EUA processam mais 9 pessoas envolvidas no escândalo da Enron

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de maio de 2003 as 11:02, por: cdb

O Departamento de Justiça norte-americano anunciou, nesta quinta-feira, a abertura de processos contra o ex-diretor financeiro da Enron, Andrew Fastow, sua esposa, Lea, e mais sete executivos; por irregularidades relativas ao escândalo de fraude na outrora gigante de energia dos Estados Unidos.

Fastow, que já havia sido indiciado em outubro passado com outras 78 acusações, por fraude, lavagem de dinheiro e conspiração, foi incluído no novo processo, aprovado por um júri de instrução federal em Houston, no estado do Texas.

Ao todo, foram apresentadas 109 acusações contra os nove réus.

Além do casal Fastow, o processo atinge, entre outros, o ex-tesoureiro da Enron, Ben Glisan, e o ex-executivo financeiro Dan Boyle, acusados de fraude junto à comissão de valores imobiliários dos Estados Unidos, falsificação de documentos da contabilidade da empresa, sonegação fiscal e negociações em causa própria.

O júri aprovou, ainda, a abertura de processos relativos à malfadada divisão de Internet da Enron, a Enron Broadband Services (EBS).

– Os indiciamentos de hoje (quinta-feira) são um marco expressivo em nossos esforços para expor e punir o amplo espectro de conduta criminal que levou à quebra da Enron Corporation – declarou Larry Thompson, subprocurador federal que chefia a força-tarefa encarregada de destrinchar o escândalo administrativo.

– Os indiciamentos não encerram, de forma alguma, a nossa investigação, que continua ativa – acrescentou.

Thompson recusou-se a entrar em detalhes sobre o indiciamento de Lea Fastow, que já foi assistente da Tesouraria da Enron.

Acompanhada do marido, Lea apresentou-se ao escritório do IRS – a Receita Federal norte-americana – em Houston e entregou-se aos oficiais da Justiça.

Também em Houston, Ken Rice, ex-chefe da EBS, Glisan e outros quatro executivos da divisão chegaram ao escritório do FBI no espaço de meia hora e evitaram os jornalistas.

O primeiro a se entregar ao FBI foi Boyle.

– Processar este cara é como processar o pianista de um bordel – reagiu o advogado do executivo, Bill Rosch.

Separadamente, a SEC (Comissão de Valores Imobiliários norte-americana) impetrou uma ação civil contra cinco dos sete ex-executivos da divisão de Internet da Enron, acusando-os de fraude, a qual resultou em um prejuízo de mais de 150 milhões de dólares.

A SEC já está processando outros dois executivos da EBS, Kevin Howard e Michael Krautz.

Os últimos processos impetrados pelo Departamento de Justiça elevam a 19 o número de pessoas formalmente acusadas pelo escândalo na Enron, que quebrou em 2001. Seis já admitiram culpa.