EUA pedem desculpas por morte de jordaniano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 13 de setembro de 2003 as 10:34, por: cdb

Os Estados Unidos se desculparam pela morte de um oficial jordaniano no Iraque, vítima de “fogo amigo” norte-americano, informaram neste sábado jornais da Jordânia.

Segundo notícias publicadas no país, o secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, teria telefonado a seu colega Marwan Al-Muasher, ontem, para “expressar seu pesar sobre o incidente que provocou a morte de um dos jordanianos que trabalham no hospital militar da Jordânia em Falluja”.

“Powell ofereceu condolências pelo trágico incidente e elogiou o trabalho humanitário que o hospital realiza ajudando o povo do Iraque nesses tempo difíceis”, disse o Al-Rai. Testemunhas disseram que o sargento jordaniano que vigiava o hospital de Falluja, no Iraque, morreu na sexta-feira durante uma operação das tropas dos Estados Unidos, que também matou por engano oito policiais iraquianos, confundidos com guerrilheiros.

O ministro da Informação da Jordânia, Nabil Al-Sharif, afirmou que o sargento Omar Ahmed Aref fazia parte do contingente que vigiava o hospital, que é patrocinado pela Jordânia, na cidade de Falluja, a cerca de 50 quilômetros a oeste de Bagdá. Sharif também disse que outros quatro militares e um iraquiano que trabalhavam no hospital – que dá assistência humanitária aos iraquianos – ficaram feridos no ataque, ocorrido ao amanhecer de ontem.
O hospital militar sofreu sérios estragos, mas as atividades não foram prejudicadas, segundo o ministro.