EUA não vão avaliar a Síria por promessas, diz Powell

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 4 de maio de 2003 as 23:03, por: cdb

O secretário de Estado americano, Colin Powell, disse neste domingo que os Estados Unidos irão avaliar a Síria pelas ações que tomar e não apenas pelas “palavras do presidente Assad”.

Powell disse em um programa de televisão que o governo americano não tem interesse em promessas.

A cooperação, segundo ele, também traria ganhos para a Síria, já que um acordo de paz entre israelenses e palestinos incluiria a discussão sobre as Colinas de Golan, que o país disputa com Israel.

Neste domingo, entretanto, os governos da Síria e do Líbano, ao comentar as conversas de sábado com Powell, não citaram se vão reprimir os grupos militantes palestinos e reafirmaram que só haverá paz se Israel devolver as terras ocupadas deste 1967.

Rádio oficial

Numa nota lida na rádio oficial do país, o governo da Síria classificou o encontro como “construtivo, franco e positivo”, mas que só haveria paz com a devolução dos territórios ocupados.

O texto afirma ainda que os Estados Unidos eram “capazes de deter o agressor e colocar os esforços internacionais nos trilhos para conseguir uma justa e compreensiva paz”.

Já o jornal An-Nahar, do Líbano, relatou que, no encontro, o presidente Emile Lahoud disse a Powell que o Hezbollah é um partido político legalizado e que a guerrilha feita por ele ajudou a colocar fim em 18 anos de ocupação israelense no sul do país.

Não há confirmação sobre a veracidade dessas declaração por fontes oficiais do governo.

Diversos grupos militantes palestinos afirmaram neste domingo que continuarão operando normalmente, apesar da pressão americana sobre os governos da Síria e do Líbano.