‘EUA não sairão precipitadamente do Iraque’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 1 de novembro de 2003 as 13:56, por: cdb

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, garantiu neste sábado que os americanos não sairão precipitadamente do Iraque apesar dos ataques contra suas tropas no país árabe.

Em seu discurso dos sábados pelo rádio, Bush, que passa o fim de semana descansando em seu rancho em Crawford (Texas), disse que se os Estados Unidos se retirarem agora do Iraque só conseguiriam “encorajar” os terroristas.

O presidente fez estas declarações no dia em que se completam seis meses de sua afirmação de que as maiores operações militares no Iraque estavam encerradas. “Os Estados Unidos completarão seu trabalho no Iraque”, disse Bush, reiterando que “abandonar o Iraque de maneira precipitada só servirá para encorajar os terroristas e aumentar o perigo” contra os americanos.

“Estamos decididos a permanecer, lutar e ganhar”, afirmou.

Os ataques sofridos pelas tropas americanas recrudesceram, chegando a uma média de 25 por dia. Neste sábado, uma explosão na cidade de Mossul, no norte do Iraque, matou dois soldados dos Estados Unidos e deixou outros dois feridos.

Segundo o presidente, “alguns dos assassinos por trás destes ataques são partidários do regime de Saddam Hussein que querem retomar o poder e que estão ressentidos diante das novas liberdades no Iraque”. Outros “são estrangeiros que foram ao Iraque para espalhar o medo e o caos e impedir que surja uma democracia bem-sucedida no coração do Oriente Médio”.

“Os terroristas e os partidários do antigo regime fracassarão, porque os Estados Unidos e seus aliados têm uma estratégia”, afirmou o presidente, que garantiu que o plano americano “funciona”.

Como parte da estratégia, disse Bush, a Autoridade Provisória da Coalizão está implementando um plano para transferir a soberania ao povo iraquiano e para treinar as novas forças de segurança.

Diante dos contínuos ataques, as forças americanas aumentaram seus esforços para localizar os representantes do antigo regime que continuam desaparecidos, especialmente o ex-presidente Saddam Hussein, e cercaram Tikrit, a cidade natal do ex-chefe de Estado, com arame farpado.