EUA enviam exilados para ajudar na administração do Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 26 de abril de 2003 as 14:08, por: cdb

O Pentágono iniciou o envio de uma equipe de exilados iraquianos a Bagdá. Eles participarão do governo temporário organizado pelos EUA. As informações foram confirmadas por autoridades do governo Bush na sexta-feira.

Os exilados – que em sua maior parte, segundo informa o Pentágono, possui experiência em administração – possivelmente assumirão posições nos 23 ministérios iraquianos, onde eles trabalharão com as autoridades britânicas e americanas sob o comando de Jay Garner, o general reformado que está governando o Iraque. O grupo de tecnocratas foi reunido dois meses atrás e vem trabalhando em um escritório na Virgínia.

Em Bagdá, Garner iniciou uma série de encontros com os notáveis iraquianos, que tem como objetivo formar uma autoridade iraquiana provisória até o fim de maio – antes do inicialmente planejado.

Mas esse processo está apresentando obstáculos, com o maior grupo de exilados xiitas muçulmanos boicotando as conversas até o momento. Ainda, outros exilados possuem profundas suspeitas quanto a Ahmad Chalabi, líder do Congresso Nacional Iraquiano e que é visto como um favorito do Pentágono.

Com esse esforço se desenvolvendo, a tarefa dos exilados, organizados pelo Conselho de Reconstrução e Desenvolvimento iraquiano, consistirá em reconstruir as estruturas do governo que serão entregues à nova autoridade iraquiana, segundo indicaram os representantes do governo Bush.

Na quinta-feira, Garner afirmou que uma autoridade interina no Iraque estaria operando já na próxima semana, mas outros oficiais americanos, incluindo-se o secretário de Defesa Donald H. Rumsfeld, indicaram que os comentários do general não foram interpretados corretamente. Um encontro entre os notáveis iraquianos deve ser realizado na segunda-feira em Bagdá. Mas as autoridades americanas destacaram que o novo objetivo pactuado nos encontros da Casa Branca nesta semana sobre o governo iraquiano antecipava um governo interino atuando a partir do fim de maio.

O consenso no governo Bush favorece um avanço mais rápido, segundo colocou um oficial do governo, em parte “porque nós desejamos remover as aparências de que esta é uma operação americana”.

A equipe de tecnocratas iraquianos foi selecionada pelo secretário assistente de Defesa Paul Wolfowitz, mas está sendo oficialmente empregada por uma prestadora de serviços de defesa, a SAIC, afirmaram as autoridades. A equipe é comandada por Emad Dhia, um engenheiro que deixou o Iraque 21 anos atrás e deverá atuar como o principal assessor iraquiano de Garner, que, como chefe do Escritório de Reconstrução e Ajuda Humanitária está atuando como administrador civil do Iraque.

Entre os 150 exilados iraquianos que estão participando, ao menos 10, incluindo-se Dhia, partiram para o Kuwait na sexta-feira para iniciar sua jornada a Bagdá. Até o fim da próxima semana, ao menos 25 deles estarão em Bagdá, incluindo-se oficiais designados pelo Pentágono para comandar os ministérios do Petróleo, Planejamento e Indústria.