EUA e países da América Central negociam acordo de livre comércio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 9 de janeiro de 2003 as 18:29, por: cdb

Os Estados Unidos e cinco países da América Central iniciaram negociações com o objetivo de chegar a um acordo de livre comércio até o fim do ano.

Em uma entrevista coletiva, o representante de Comércio norte-americano, Robert Zoellick, disse, na companhia de ministros centro-americanos, que a proposta de acordo com Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras e Nicarágua fará mais que expandir o intercâmbio regional, estimado atualmente em 20 bilhões de dólares.

“Este acordo vai fortalecer a democracia e a promover a prosperidade na região, que registrou muito pouco de ambas coisas”, afirmou Zoellick, na quarta-feira.

“Vai fazer avançar a integração regional que os próprios centro-americanos iniciaram e complementar nosso trabalho vital na Área de Livre Comércio das Américas (Alca)”, acrescentou.

Os cinco países representam um mercado de nove bilhões de dólares por ano para os produtos norte-americano.

Setenta e cinco por cento dos 11 bilhões de dólares em produtos que os Estados Unidos importam da região já ingressam no país sem taxas.

Mas o pacto permitirá aos cinco integrantes do Mercado Comum centro-americano solificar permanentemente essas preferências comerciais, o que aumentaria sua capacidade de atrair investimentos.

“Esse é realmente um momento muito importante para a América Central”, disse o ministro de Comércio da Costa Rica, Alberto Trejos.

A ministra da Economia da Guatemala, Patricia Ramirez, declarou que o início das negociações representa uma “oportunidade histórica única, que nos permitirá forjar vínculos mais estreitos e fortes”.

O Governo do presidente norte-americano George W. Bush quer que o novo tratado sirva de trampolim para a criação da Alca.

As negociações para o acordo centro-americano foram iniciadas após Washington selar recentemente com o Chile um tratado de livre comércio.