EUA e Guatemala iniciam combate ao cultivo de maconha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de setembro de 2003 as 20:55, por: cdb

Agentes antidrogas da Guatemala e dos Estados Unidos iniciaram, nesta quinta-feira, operações conjuntas para erradicar o cultivo de maconha e papoula neste país centro-americano. No denominado plano “Maya Jaguar” participam seis agentes especiais da Direção Americana Antinarcóticos (DEA) dos EUA, 23 do Serviço de Análise e Informação Antinarcóticos (Saia) e quatro fiscais do Ministério Público da Guatemala.

O porta-voz da Polícia Nacional Civil (PNC), Faustino Sánchez, disse à imprensa que a operação conjunta faz parte do convênio aprovado em agosto pelo Congresso guatemalteco, com o qual se permite a entrada no país de naves, aeronaves e forças de segurança americanas para combater o narcotráfico.

– Este tipo de ajuda e orientação é importante, já que a DEA tem muita experiência na luta contra o narcotráfico – disse o funcionário policial.

Um dos objetivos do plano é que a Guatemala volte a ser certificada pelos Estados Unidos quando o combate ao narcotráfico no país centro-americano for avaliado. Em janeiro, Washington não outorgou a certidão à Guatemala por sua ineficácia no combate ao tráfico de drogas.

Segundo informações da embaixada americana, pela Guatemala passam cerca de 150 toneladas de cocaína a cada ano, provenientes da América do Sul. Antes das operações, os agentes fizeram treinamentos com dois helicópteros da Força Aérea dos Estados Unidos em uma cidade na região sudeste do país.

Os efetivos praticaram manobras de aterrissagem, abordagem e segurança. As operações serão realizadas em diferentes pontos do país onde se detectaram cultivos de maconha e papoula (de onde se extrai o ópio), especialmente na cidade nortista de Petén, na fronteira com o México e Belize.

A última vez que se realizou este tipo de operação na Guatemala foi em fevereiro do ano passado, quando mais de 360 mil plantas de maconha foram destruídas.