EUA bombardeiam área residencial

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de abril de 2003 as 09:09, por: cdb

Autoridades do Pentágono, em Washington, afirmam que aviões americanos bombardearam uma área residencial de Bagdá na segunda-feira, depois de receber informações de inteligência de que membros da liderança iraquiana, incluindo o presidente Saddam Hussein, poderiam estar no local.

Os militares americanos disseram que, assim que as informações sobre a possível localização de líderes iraquianos foram recebidas, os aviões que sobrevoavam Bagdá foram autorizados a atacar a área de Al-Mansur, no oeste da região central de Bagdá.

Jornalistas levados pelas autoridades iraquianas ao distrito de Al-Mansur revelaram que uma grande explosão no local destruiu diversas casas e deixou uma cratera de cerca de 50 metros de largura.

Testemunhas afirmam que pelo menos 14 moradores morreram após a explosão na região de Al-Mansur. O Comando Central das tropas americanas afirmou que está investigando as acusações de que um míssil disparado pelos Estados Unidos foi o responsável pelas mortes.

Bombas

De acordo com as autoridades americanas, durante o bombardeio em Bagdá, os aviões de combate lançaram quatro bombas de 900 quilos, guiadas por satélite e capazes de penetrar em abrigos subterrâneos.

Os militares americanos, no entanto, não puderam confirmar se o ataque atingiu a liderança iraquiana ou deixou vítimas civis.

Em Bagdá, a direção dos hospitais da cidade afirmou que não está conseguindo atender ao grande número de vítimas, civis e militares, dos combates na capital iraquiana.

Os médicos afirmam que estão exaustos, os medicamentos estão acabando e algumas cirurgias estão sendo realizadas sem a presença de anestesistas.

Apenas nos últimos dois dias, os hospitais Kadhumiya e Kindi afirmam que mais de 300 casos de emergência foram atendidos.