Estudo diz que miscigenação eliminou raças no Brasil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 16 de dezembro de 2002 as 20:30, por: cdb

Estudo realizado no Brasil, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), confirma o que a população brasileira já sabe, na prática, desde que o país nutre o conceito de nação. A miscigenação, como relatam os livros do escritor baiano Jorge Amado, é intensa e comum no país. O estudo demonstra, ainda, que a mistura é muito maior do que indicam apenas aspectos da aparência física, como a cor da pele ou o tipo de cabelo. No Brasil, não há pessoas da cor branca sem que carregue os genes do povo africano, nem negros puros, sem os genes europeus.

– Os brancos brasileiros são geneticamente diferentes dos portugueses e os negros brasileiros são diferentes dos africanos – disse o coordenador do estudo Sergio Danilo Pena, professor titular de bioquímica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e presidente do Núcleo de Genética Médica (GENE).

Em 2000, Pena publicou um trabalho pioneiro na área, o primeiro retrato molecular do brasileiro. Da pesquisa na PNAS participaram ainda cientistas da Universidade do Porto, em Portugal.