Estudantes de Brasília vão pintar neste sábado enorme Bandeira Nacional

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de setembro de 2003 as 16:37, por: cdb

Estudantes de Brasília vão pintar neste sábado, a partir das 9h30, na Esplanada dos Ministérios, a maior Bandeira Nacional de que se tem notícia. Entre os Ministérios da Cultura e da Defesa, 200 crianças do Centro de Ensino Fundamental 3, da cidade-satélite de Sobradinho farão a pintura, numa gigantesca lona de 54m x 77m, totalizando 4.158 m2.

O evento é promovido pelo Ministério da Cultura e faz parte das comemorações do 7 de setembro, data da Independência Brasileira. A manifestação artística conta com o patrocínio de diversas empresas privadas e com o apoio de órgãos do governo.

A idéia é do artista plástico José Roberto Aguilar, representante do MinC em São Paulo, que doou a lona para ser utilizada nesta festa, com a participação dos estudantes. O trabalho será coordenado por Aguilar, autor do projeto, juntamente com os artistas plásticos Cláudio Tozzi, Ivald Granato e Siron Franco.

Todo o evento será filmado e fotografado por uma empresa especializada, inclusive com imagens aéreas. Haverá barracas decoradas com balões verde e amarelo para as autoridades presentes, para os representantes das empresas patrocinadoras e convidados do MinC. Para maior segurança, haverá uma UTI móvel no local. Após o término da pintura, a banda de música da Escola Naval executará o Hino Nacional.

No domingo (7), a Funarte, vinculada ao Ministério da Cultura, prepara três shows que serão apresentados no gramado próximo à Sala Cássia Eller, ao lado da Torre de TV. Estarão lá a banda Casa de Farinha (17h), o grupo Flor de Babaçu (18h) e o cantor soteropolitano Jerônimo (19h). Será o início do projeto Domingo Funarte, que promete novidades a cada primeiro domingo do mês.

Casa de Farinha utiliza nos seus shows somente percussão e voz, com ausência de instrumentos harmônicos. Isto levou o grupo a pesquisar novos timbres em instrumentos alternativos como folhas de flandres, panelas e outros, produzindo músicas com sons alternativos. Formam o grupo Andréa Siqueira, Cláudia Daibert, Débora Aquino, Marta Carvalho, André Togni e Luciano Marques.

O grupo Flor de Babaçu, ligado à cultura popular, difunde as brincadeiras maranhenses dos folguedos Cacúria, Caroço e Tambor de Crioula. Da criação das rodas de dança nasce a interação, fazendo um paralelo cultural entre as regiões Nordeste e Centro-Oeste.

A última apresentação é de Jerônimo, que vem com sua banda de Salvador especialmente para encerrar o show. Ele iniciou a carreira na década de 80, interpretando lambadas, salsas e outros ritmos. Hoje é considerado mestre em fundir rock com ritmos afros. Já teve parceiros e intérpretes famosos como Carlinhos Brown (Corra lá), Maria Bethânia (Agradecer e Abraçar), Ricardo Chaves, Netinho, Gal Costa, Elba Ramalho e Margarete Menezes. Seu maior sucesso chama-se É D’Oxum.