Estudante é vítima de bala perdida em universidade no RJ

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 3 de maio de 2007 as 19:44, por: cdb

A universitária e adestradora de cães Renata Ramires Miranda, 32 anos, foi atingida por um estilhaço na perna esquerda na noite de quarta-feira dentro da faculdade Estácio de Sá, no Rio Comprido, Zona Norte do Rio. A estudantes disse que ouvir disparos de tiros dentro do campus se tornou algo normal.

– Ninguém se assusta mais com os disparos. Eu e meus colegas já consideramos normal ouvir barulho de tiros durante as aulas -, explica.

Renata disse que no momento em que foi atingida pela bala perdida estava com seus colegas lanchando.

– Eu e meus colegas já estávamos ouvindo barulho de tiros enquanto lanchamos. De repente, senti um impacto na minha perna. Foi tão forte que me empurrou para trás. Eu até derrubei um sanduíche que estava comendo. Quando olhei, minha perna estava ensangüentada. Só quando fui ao banheiro que percebi que tinha sido atingida por uma bala perdida -, contou.

A universitária foi levada por funcionários da faculdade para a Casa de Saúde Portugal, em frente à faculdade, onde foi medicada e liberada. Ela está se recuperando na sua casa, na Tijuca, Zona Norte do Rio. Segundo Renata, a faculdade está arcando com todas as despesas do incidente.

No mesmo campus, no dia 5 de maio de 2003, uma história trágica. A estudante de enfermagem Luciana Gonçalves Novaes, que tinha 19 anos na época, foi atingida por bala perdida e ficou tetraplégica. O tiro se alojou na coluna cervical e ela perdeu os movimentos do pescoço para baixo. Os disparos partiram de traficantes do morro do Turano, segundo policiais do 1º BPM (Estácio).