Estados Unidos têm homens e armas atuando dentro do Afeganistão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de setembro de 2001 as 15:55, por: cdb

Autoridades americanas confirmaram nesta sexta-feira que forças especiais dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha conduziram operações dentro do Afeganistão e em outras regiões da Ásia Central. A informação foi divulgada instantes depois da notícia de que falhara a tentativa da delegação paquistanesa de convencer o Talibã a entregar o terrorista Osama bin Laden, a fim de evitar um ataque das forças da coalizão liderada pelos EUA.

De acordo com a Casa Branca, as operações militares, descritas como rotineiras para o reconhecimento de uma região quando o envio de tropas é aguardado, foram realizadas poucos dias atrás. Foram analisados possíveis locais para o pouso de helicópteros que seriam usados em um ataque das forças da coalizão antiterrorista. Segundo uma fonte, “havia dificuldades para o serviço secreto obtivesse informações sobre a área”. As operações especiais das Forças Armadas dos EUA incluem comandos do Exército, tropas de elite da Marinha, e a ultra-secreta Força Delta.

O presidente George W. Bush disse nesta sexta-feira que os EUA podem não utilizar as unidades convencionais das Forças Armadas na campanha contra o terrorismo:

– É muito difícil lutar contra a guerrilha com forças convencionais. Por isso venho explicando à população americana que a nova guerra contra o terrorismo será uma guerra diferente.

Tropas de elite americanas estariam operando no Afeganistão há duas semanas – numa mega-operação de caça ao terrorista saudita Osama bin Laden, com três a cinco comandos americanos em território afegão. O objetivo da missão seria capturar ou matar bin Laden. Caso a meta não fosse cumprida, a determinação seria atrair o terrorista a um local onde os EUA possam deflagrar ataques aéreos contra a cúpula que o protege. As dificuldades em localizar o terrorista teriam feito os agentes do serviço secreto americano pedirem socorro a oficiais de outros países.