Estados do sul fazem simulação de guerra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 8 de maio de 2002 as 22:24, por: cdb

A Operação Cruzeiro do Sul, que reúne as Forças Aéreas do Brasil, França, Argentina e Chile, teve início nesta segunda-feira com uma guerra simulada entre os estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. A simulação envolve 1.200 militares e 70 aviões de combate e prosseguirá até o próximo sábado.

O objetivo da Força Aérea Brasileira (FAB) é experimentar diferentes técnicas de planejamento, comando e controle operacional de uma invasão aérea, aperfeiçoando a capacidade de atuar em conjunto com países aliados.

Na guerra simulada, Santa Catarina é o país Amarelo que está sendo invadido pelo Paraná, chamado de país Vermelho. Quatro países, liderados pelo Rio Grande do Sul, que é o país Azul, se unirão para lutar contra o inimigo e desocupar o território, simulando todas as situações possíveis em um conflito aéreo.

Até domingo, os exercícios foram teóricos, com projeções em telas de radar e simulações de combates. Embora tenham Canoas como sede, as manobras envolverão outras sete cidades do sul do país: Santa Maria, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Lages, Florianópolis e Chapecó. Em todas serão realizados vôos.

Entre os 70 aviões militares, há jatos interceptores, de ataque ao solo, aeronaves de transporte, de reabastecimento de combustíveis e até aviões de espionagem eletrônica.

Como anfitriã, a FAB fará as honras da casa: participará com 850 militares e metade das aeronaves. Entre os aviões, 17 caças Tiger F-5, seis Mirage III, oito aviões de ataque ao solo AMX A-1, um Boeing para reabastecimento de combustível (KC-135) e um cargueiro Hércules, além de aviões-patrulha Bandeirantes. Toda a operação custará aos cofres públicos US$ 400 mil (R$ 920 mil), sendo a maior parte gastos em combustível e desenvolvimento de softwares para radar. Para os internautas, uma novidade: toda a operação pode ser acompanhada pela Internet, no site www.fab.mil.br/cruzex.