Estado Islâmico tem planos para expandir seu ‘califado’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 6 de junho de 2016 as 13:16, por: cdb

De acordo com o Serviço, os militantes do EI disparam regularmente foguetes contra o território de Kilis, forçando a população local a deixar suas casas na província

Por Redação, com agência internacionais – de Beirute:

O jornal Cumhuriyet escreve que, em 21 de maio, o Serviço de Segurança turco enviou para os municípios das províncias de Kilis e Gaziantep avisos classificados como “secretos”, que informam sobre a necessidade de maximizar as medidas de segurança e controle fronteiriço no território dessas províncias.

Tais medidas estão relacionadas com o fato de o Serviço ter descoberto planos do Estado Islâmico para anexar Kilis e Gaziantep ao território do "califado"
Tais medidas estão relacionadas com o fato de o Serviço ter descoberto planos do Estado Islâmico para anexar Kilis e Gaziantep ao território do “califado”

Tais medidas estão relacionadas com o fato de o Serviço ter descoberto planos do Estado Islâmico para anexar Kilis e Gaziantep ao território do “califado” e para isso, nos próximos tempos, os jihadistas estão planejando intensificar suas atividades nas duas províncias.

De acordo com o Serviço, os militantes do EI disparam regularmente foguetes contra o território de Kilis, forçando a população local a deixar suas casas na província. Neste caso, os membros do Estado Islâmico, esperados na fronteira, serão capazes de penetrar livremente no território desocupado e gradualmente estender sua influência, de acordo com o aviso do Serviço de Segurança.

No início de maio, dois foguetes, supostamente disparados por jihadistas do EI, atingiram a cidade turca de Kilis, perto da fronteira com a Síria, matando ao menos uma pessoa e deixando vários feridos. As Forças Armadas turcas responderam logo em seguida com disparos em direção ao território sírio.

Bombardeios em Aleppo

Cerca de 50 bombardeios atingiram as áreas controladas pelos rebeldes e em torno da cidade síria de Aleppo neste domingo, em uma das incursões recentes mais pesadas feitas por aeronaves dos governos russo e sírio, disseram moradores e monitores do conflito.

Os rebeldes também atingiram áreas de Aleppo controladas pelo governo, no que a imprensa síria disse ser uma escalada de ataques com morteiros sobre os distritos ocidentais da maior cidade do país antes da guerra.

De acordo com a imprensa estatal, insurgentes dispararam mísseis de Hamadaniyah, Midan e de outros locais próximos, deixando ao menos 20 mortos, a maioria civis, no segundo dia de bombardeio intenso sobre as áreas controladas pelo governo, o que causou cerca de 24 mortes no sábado.

No setor leste da cidade controlado pelos rebeldes, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que dezenas de bombas de barril – tambores de óleo ou cilindros carregados com explosivos e estilhaços – foram jogadas por helicópteros militares em vários distritos densamente povoados.

As incursões aéreas deste domingo ocorreram em sequência aos ataques da última sexta-feira em áreas que moradores disseram ser os mais intensos em um mês.

Militantes curdos

Aviões de guerra turcos atacaram alvos de militantes curdos no norte do Iraque e no sudeste da Turquia e o exército matou 27 combatentes perto da fronteira com Iraque e Irã, afirmram as forças armadas neste domingo.

O conflito no sudeste curdo da Turquia está no seu nivel mais intenso em duas décadas desde que um cessar-fogo de dois anos pelo militante Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) entrou em colapso em julho passado.

Os ataques aéreos no sábado destruíram posições de armas e abrigos e cavernas usadas por combatentes do PKK na área de Gara, no norte do Iraque, e do distrito de Lice, na província de Diyarbakir, disse o comunicado militar.

A nota não deu um número de mortos, mas a agência estaral Anadolu citou fontes de segurança dizendo que pequenos grupos de militantes do PKK foram mortos nos ataques.

Sete militantes do PKK morreram em um confronto em Semdinli, perto das fronteiras iraquianas e iranianas no sábado, enquanto em ataques aéreos a Şemdinli na sexta-feira mataram 20 combatentes do PKK, disse o exército.