Esquerda italiana propõe observadores da UE na Venezuela

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 24 de novembro de 2003 as 16:36, por: cdb

 
O partido italiano Democratas de Esquerda (DS) apresentará uma solicitação à Presidência da UE, em mãos da Itália este semestre, para que envie fiscais à Venezuela durante o recolhimento de assinaturas para colocar em votação o pedido de revogação do mandato do presidente Hugo Chávez.

A Constituição venezuelana prevê que se convoque um referendo para revogar o mandato, uma vez transcorrida a metade do período presidencial.

Essa alternativa é considerada por muitos como a única saída democrática possível para a grave crise política, econômica e social que o país vive, explicou nesta segunda-feira a representante para os assuntos internacionais da DS, Marina Sereni.

Organismos internacionais como a Organização dos Estados Americanos (OEA), o Centro Carter, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Internacional Socialista e a Internacional Democratacristã garantirão a presença de observadores internacionais, disse Sereni.

Os observadores são indispensáveis para garantir que a coleta de assinaturas que acontecerá entre os dias 28 de novembro e 2 de dezembro, ocorra sem fraudes nem intimidações, completou a deputada italiana.

Gianni Pitella, deputado europeu da DS, se mostrou preocupado com a situação dos quase dois milhões de pessoas que formam a comunidade de origem italiana e que vivem na Venezuela.

Pitella, que acaba de voltar desse país sul-americano, ressaltou o mal-estar social e o momento crucial do ponto de vista econômico para as pequenas e médias empresas nas mãos de industriais de origem italiana.