Especulações sobre peso de Ronaldo incomodam

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de novembro de 2003 as 11:29, por: cdb

As especulações de que o atacante Ronaldo está acima do peso extrapolaram a opinião pública e tomaram conta da Seleção Brasileira. E têm incomodado bastante. O assunto, no entanto, ainda é tratado com reserva pelos membros da comissão técnica. O preparador físico Moracy Sant’Anna foge do assunto e afirma não possuir o controle de peso do atleta. “Isso é papel do Real Madrid”, acrescenta.

O jogador diz que o suposto sobrepeso não passa de especulação. “Às vezes, surgem coisas que as pessoas procuram para justificar um mau resultado ou uma má atuação individual. Basta marcar um gol que tudo isso é esquecido”, disse durante entrevista coletiva, realizada nesta terça, em Curitiba.

Nesta quarta-feira, em Curitiba, a forma de Ronaldo poderá ser conferida no jogo contra o Uruguai, pela quarta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. A partida começa às 21h45.

A reação de Sant’Anna ao ser indagado sobre o tema, porém, revela que há algo nos bastidores. “Ele [Ronaldo] está com o peso de sempre”, encerrou o preparador, apressado e irritado. Ele se retirou sem informar o peso atual de Ronaldo.

O jogador marcou o primeiro gol brasileiro nas Eliminatórias, contra a Colômbia, mas desde então sumiu. Foram mais três jogos, contra Equador, Jamaica e Peru, mas nada de balançar as redes. Ao mesmo tempo, uma saliência abdominal passou a ser notada pelo torcedor mais exigente.

Oficialmente, o craque do Real Madrid, 1m83, tem 83 kg.

Com 49 gols feitos pela Seleção, o atacante está ansioso para chegar à marca de meia centena. Nem queria que o assunto fosse comentado na entrevista que concedeu na noite desta terça-feira. “Começamos mal, eu esperava não responder a essa pergunta”, confessou.

O Brasil, segundo colocado nas Eliminatórias, pode recuperar a ponta se o ataque, comandado por Ronaldo, melhorar sua performance. Por enquanto, seu desempenho (quatro gols) só é superior aos de Venezuela, Equador (três) e Colômbia.