Especialistas concordam com alerta da Anvisa e veem com restrições consumo da ração humana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 7 de junho de 2011 as 15:26, por: cdb

Da Agência Brasil

Brasília – Especialistas ouvidos pela Agência Brasil concordaram com o alerta feito hoje (7) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre os riscos do consumo do composto alimentar conhecido como ração humana.

A nutricionista Potira Moreno, do Conselho Federal de Nutricionistas, concordou com a recomendação e disse que a promoção da alimentação saudável é fundamental. “Nós, nutricionistas, acreditamos que a base para uma alimentação adequada é resultado de variedade e qualidade”, afirmou. Ela, aliás, condena os chamados compostos alimentares, caso da ração humana. “Qualquer alimento processado, que passe por várias etapas até o seu consumo final, é carente de qualidade”.

Potira também avisa que a maioria das rações humanas comercializadas não tem registro na Anvisa. “Dos produtos que estão sendo comercializados, grande parcela não tem autorização do Ministério da Saúde e muito menos o registro na agência”.

A endocrinologista e representante do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), Zuleika Halpern, acredita que a falta de esclarecimento em relação ao próprio produto é o maior problema.

“É preciso informar que o produto não emagrece. É necessário que haja maiores informações, pois muita gente está sendo induzida ao erro”, afirmou. Zuleika lembra ainda que a ração humana é um composto de fibras, “composto este que pode ser feito em casa, de forma mais saudável e, às vezes, bem mais barato”.

De acordo com a Anvisa, esse tipo de produto não oferece os nutrientes necessários para uma alimentação saudável. A agência ressaltou ainda os perigos da substituição de refeições importantes como o café da manhã por doses do composto.

Edição: Lana Cristina