Especialistas avaliam danos em obras recuperadas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de abril de 2003 as 13:07, por: cdb

Especialistas em artes plásticas estão examinando três quadros de Van Gogh, Picasso e Gauguin que haviam sido roubados de uma galeria na Grã-Bretanha e foram encontrados em um banheiro público.

O valor das obras é estimado em cerca de US$ 1,6 milhão. Elas estavam em exposição na Whitworth Art Gallery, em Manchester.

Os quadros, A fortificação de Paris, de Van Gogh, Pobreza, de Picasso, e Paisagem do Taiti, de Gauguin, foram encontrados nesta segunda-feira dentro de um cano em um banheiro público a 200 metros da galeria.

Há temores de que as pinturas tenham sido danificadas por água, mas a direção da galeria afirmou que os especialistas só poderão dar um parecer definitivo dentro de algumas horas.

A polícia de Manchester disse que um comunicado anônimo às 2h na Grã-Bretanha (22h em Brasília) levou à descoberta das obras.

Junto com os quadros estava um bilhete dizendo que eles foram retirados para mostrar a fragilidade do sistema de segurança da galeria.

“A nota sugere que as pinturas foram removidas por uma causa nobre, por mais que isso pareça absurdo”, disse Peter Roberts, inspetor-chefe da polícia de Manchester. “Mas o tiro saiu pela culatra para o responsável por esse ato, pois nós estamos considerando o caso como uma tentativa de furto.”

O desaparecimento das obras foi percebido às 21h da Grã-Bretanha (17h em Brasília) do sábado.

A polícia acredita que os ladrões forçaram sua entrada através da sala Pilkington, onde estão vários quadros valiosos e representativos da arte moderna.

A Fortificação de Paris foi pintado por Van Gogh em 1878, usando lápis, crayon e aquarela.

Paisagem do Taiti foi criada pelo parisiense Paul Gauguin entre 1891 e 1893, usando lápis e aquarela.

E em 1903, o espanhol Pablo Picasso, então com 24 anos, usou caneta, tinta e aquarelas azuis para pintar Pobreza, perfil de um homem e uma criança.

A diretora da Whitworth Gallery, Jo Beggs, afirmou que o sistema de segurança da galeria foi reforçado há dois anos.

– Temos um circuito interno de TV, além de alarmes e vigias durante a noite – disse ela.

Nos últimos anos, vários museus e galerias da Grã-Bretanha têm sido alvo de roubos.

O valor de obras de arte e antiguidades roubadas na Grã-Bretanha é estimado entre cerca de US$ 480 milhões e US$ 800 milhões por ano.