Equipes encontram pedaços de corpos de astronautas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de fevereiro de 2003 as 21:05, por: cdb

Pedaços de corpos humanos foram encontrados juntos com os destroços do ônibus espacial Columbia, que se desintegrou no sábado, ao reentrar na atmosfera da Terra, matando todos os sete tripulantes a bordo.

A agência espacial Nasa levantou a hipótese de uma falha na asa esquerda da nave, que havia sido atingida por uma placa saída do tanque externo de combustível na decolagem.

Todas as missões com ônibus espaciais foram canceladas indefinidamente.

A Nasa já iniciou uma investigação para descobrir as causas do acidente. O Congresso americano e o governo dos Estados Unidos afirmaram que também vão conduzir inquéritos.

Perda de contato

Na Columbia, viajava uma mulher de origem indiana e o primeiro astronauta israelense, Ilan Ramon.

Tanto a Nasa como governo americano descartaram a hipótese de que o acidente tenha sido causado por um atentado.

A Nasa perdeu contato com o ônibus espacial quando faltavam apenas 15 minutos para seu pouso, previsto para acontecer no Centro Espacial Kennedy, no Estado americano da Flórida, às 09h16 (12h16, horário de Brasília) deste sábado.

No momento em que o contato foi perdido, o Columbia estava a cerca de 63 quilômetros de altura e sobrevoava o Estado do Texas, a 19,3 mil km/h.

Moradores da cidade texana de Dallas e habitantes das imediações contam ter ouvido explosões por volta das 9h (horário local).

Na região, foi possível também ver clarões no céu decorrentes da explosão e foram encontrados destroços da Columbia a cerca de 160 quilômetros de Dallas.

A Nasa tem pedido que pessoas evitem se aproximar dos destroços do ônibus espacial.

Foi a primeira vez durante os mais de 40 anos do projeto espacial americano que uma nave espacial do país explode ao reentrar na atmosfera.

O ônibus espacial estava em uma missão que já durava 16 dias.

A Columbia, construída em 1981, é o mais velho ônibus espacial em atividade.

O acidente acontece 17 anos depois que o ônibus espacial Challenger explodiu no ar logo após seu lançamento, matando sete tripulantes.