Enviado da ONU condena ocupação de Tulkarem por Israel

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de janeiro de 2002 as 22:29, por: cdb

O enviado da Organização das Nações Unidas ao Oriente Médio, Terje Roed-Larsen, disse que a ocupação da cidade de Tulkarem, na Cisjordânia, por tanques e soldados de Israel representa uma “escalada perigosa” no impasse entre palestinos e israelenses e pode levar a mais mortes. Terje Roed-Larsen pediu ao governo de Israel que retire as tropas que entraram na cidade, tomada nesta segunda-feira, no que é a maior ocupação de uma área palestina desde o iníco da atual Intifada, em setembro de 2000. As declarações do representante da ONU se seguem às do líder palestino Yasser Arafat, que condenou a ocupação de Tulkarem, dizendo que a iniciativa “ultrapassa todos os limites”.

Funcionários da área de seguranca da Autoridade Nacional Palestina disseram que, enquanto cerca de cem tanques entravam na cidade, quatro helicópteros também podiam ser vistos nas proximidades. Segundo Izzedin Sharif, representante do governo local, assim que as tropas israelenses se instalaram na cidade foi imposto um toque de recolher. Residências foram ocupadas e estão sendo usadas como postos de observação pelo Exército, entre elas a do prefeito de Tulkarem, cuja família foi obrigada a se concentrar em um dos cômodos.

O governo de Israel afirmou que a tomada de Tulkarem foi uma represália ao ataque do grupo palestino Brigadas Al-Aqsa em Hadera, na última sexta-feira, quando seis israelenses que participavam de uma festa foram mortos a tiros. As tropas israelenses também detiveram várias pessoas que, segundo Israel, são suspeitas de envolvimento com ações armadas na região. Izzedin Sharif disse que os soldados cercaram os campos de refugiados em Tulkarem e da cidade de Nur Shams, ao mesmo tempo que Israel anunciou que o Exército ficará em Tulkarem por alguns dias, até que todos os suspeitos incluídos em uma lista de procurados sejam detidos.