Entrevista do presidente da CBF

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de março de 2012 as 15:09, por: cdb

 José Maria Marin fala da sua administração, da Seleção Brasileira e destaca que comando do futebol está bem entregue a Andrés Sanchez

– Foto: Rafael Ribeiro / CBF

José Maria Marin falou pela primeira vez ao site CBF. Comopresidente da entidade e ao mesmo tempo um apaixonado por futebol,sabe que a Seleção Brasileira, muito acima de todos os assuntos, éa preocupação maior dos torcedores – entre os quais se inclui – mastem igualmente a convicção de que Mano Menezes vem fazendo umtrabalho adequado para uma equipe que está ainda em formação.- Sou torcedor também e, como todo braileiro, quero os melhoresresultados e as melhores atuações. Só que isso agora é muitodifícil de conseguir, mas está sendo buscado com competência pelotécnico Mano Menezes e toda a comissão técnica, que têm a minhainteira confiança.Toda a estrutura da Seleção Brasileira – da Principal às dascategorias de base – está sob o comando de Andrés Sanchez, odiretor a quem o presidente da CBF faz questão de manifestar o seucompleto apoio.- O Andrés é um homem de futebol, está no cargo certo, e temtodas as credenciais para fazer um grande trabalho à frente daSeleção Brasileira.Dirigente afeito ao universo do futebol, como jogador que foi eapaixonado que é pelo esporte mais popular do planeta, José MariaMarin se considera preparado para exercer de maneira efetiva o seumandato até o fim, em 2015.- Só peço a Deus para me dar saúde para que possa terminar o meumandato, contando com a colaboração de meus parceiros presidentesde Federações e clubes para fazer uma grande administração.Pessoa que diz prezar acima de tudo os sentimentos de gratidão erespeito, ressalta que a convivência e a amizade com Marco Polo delNero não fará do presidente da Federação Paulista de Futebol uminterlocutor privilegiado junto à presidência da CBF.- Sou amigo dele há mais de 40 anos, e claro que por isso tenhocom ele uma maior proximidade. Posso te garantir ainda, sem prestarfavor algum, até porque fui presidente por seis anos, que ele é omelhor presidente da Federação Paulista da história. Mas vouconversar com ele e precisar da sua colaboração da mesma maneiraque farei com todos os outros presidentes de Federações.Dentro dessa linha se inclui o dever que sente de fazer justiçaao seu antecessor na presidência da CBF.- O presidente Ricardo Teixeira deu modernidade à CBF e muitostítulos à Seleção Brasileira. Como seu vice-presidente, tenho dedar continuidade ao que ele fez de bom, e foi muita coisa.O presidente da CBF reafirma que o relacionamento com ospresidentes das Federações de Futebol será feito de maneirauniforme, de atenção às críticas e sugestões, mas dentro de umsentido maior de respeito.- É natural e perfeitamente democrático que entre 27 Federaçõeshaja algumas opiniões divergentes, principalmente em relação àinterpretação do Estatuto. Mas tenho conversado com todos, algunsmeus amigos de longa data e outros pelo telefone, já que estãoviajando, e posso assegurar que todos estão unidos e convencidos deque temos uma responsabilidade enorme, que é a de conduzir ofutebol brasileiro a bom termo.