Entre exigências, CBF proíbe mulheres em spa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 9 de maio de 2006 as 14:24, por: cdb

Dentro do hotel que, já será de uso exclusivo da Seleção Brasileira durante o período de preparação para a Copa do Mundo, na cidade de suíça de Weggis, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ainda fez exigências. Entre elas, a que mais chama atenção é a proibição de mulheres na área do spa do luxuoso Park Hotel Weggis.

A área destinada ao relaxamento dos hóspedes é uma das mais famosas de toda a Suíça. Orgulhoso por ostentar o prêmio “Carpe Diem de Bem-estar 2005”, o hotel conta com serviço 24 horas, com direito a massagens às margens do Lago Lucena.

“Até mesmo as culturas ancestrais já sabiam a importância do toque humano e que cada um tem suas necessidades específicas em determinados momentos”, diz o texto da propaganda que explica a filosofia de trabalho no spa do hotel.

No entanto, no período de hospedagem da delegação brasileira, além das hóspedes, que já não teriam acesso ao spa devido à exclusividade concedida à CBF em todo hotel, as massagistas e demais funcionárias do departamento também não poderão estar presentes.

A prestação de serviços na sauna, no ofurô, na piscina aquecida, nas salas de massagens e na academia será feita apenas por homens.

Entre as demais exigências, os cartolas brasileiros incluíram a necessidade de troca de seis camas dos quartos por outras maiores. Entre os mais prováveis convocados do técnico Carlos Alberto Parreira, Dida (1,95m), Adriano (1,89m) e Lúcio (1,88) são destaques no quesito altura.

Para completar, o frigobar dos quartos não devem ter bebidas alcoólicas e os jogadores não podem receber ligações diretamente nos telefones de seus quartos.

Quem faz a mediação dos contatos entre o Park Hotel Weggis e a CBF é a agência Attaro/Kentaro, responsável pela negociação que levou à escolha da cidade de Weggis como local de concentração entre os dias 22 de mais e 4 de junho.

Para Philipp Musshafen, gerente do hotel, as exigências são normais. “No pouco contato que tivemos com membros da CBF, durante visitas, nos sentimos confortáveis e existiu uma atmosfera amistosa. São boas pessoas!

Já Dominic Keller, principal autoridade do departamento de turismo da cidade suíça, lembra que, fora do hotel, a única exigência dos cartolas brasileiros foi a construção de uma sala de musculação ao lado do campo de treino.

Um novo estádio, batizado de Thermoplan Arena, com capacidade para cerca de 5 mil torcedores, está sendo especialmente preparado para receber os treinos da Seleção Brasileira.