Encontro reafirma posicionamento de movimentos sociais contra militarização

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de setembro de 2011 as 14:56, por: cdb

Impulsionadospela luta, denúncia e articulação, entidades sociais e organizações de Hondurasestão se mobilizando para participar do Encontro Contra a Militarização, Ocupaçãoe Repressão em Honduras – Solidariedade com Bajo Aguán, entre os dias 30 desetembro e 2 de outubro.

Oevento ainda está com inscrições abertas e uma das metas é mobilizar apopulação para defesa de seus bairros, colônias e territórios contra todas asformas de militarização e crime organizado que impera no país.

Arealização do mesmo faz parte da continuidade do Encontro Hemisférico realizadoem 2008 e da Jornada Continental de Solidariedade com Honduras, realizada emjunho de 2011.

Nocontexto do Encontro contra a Militarização, a Frente Nacional de ResistênciaPopular (FNRP), em comunicado, se manifestou contra a grave realidade em que seencontra o país em dezenove meses de governo do regime do presidente, PorfirioLobo Sosa, que tem destruído conquistas sociais além de provocar cortes noorçamento e criação de mais impostos.

Aorganização repudia a política de diálogo do presidente entre governo einteresse de oligarquias imperialistas; a aprovação dos regimes especiais de desenvolvimentoque dilaceram a soberania nacional; a criminalização contra protestos populares;a impunidade e a falta de investigação nos crimes contra as mulheres, acomunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgênero e Intersex (LGBTI),agricultores, camponeses, professores, estudantes, jornalistas, sindicalistas eoutros ativistas que morreram nos combates.

AFNRP ainda manifesta solidariedade com os campesinos do Aguán; com os alunos emtodo o país em sua luta pela defesa da escola pública; e com milhares deprofessores que são reprimidos através da negação sistemática do seu direito asalários.

Osconstantes atos de violência e morte ocorridos na região de Bajo Aguán, são aprova de que a existência de justiça e reconciliação irão demorar a acontecer.Os planos do presidente, voltados para o Baixo Aguán, tem destruído o movimentocamponês para dar espaço às oligarquias agrícolas, afirmam.

Programação

Aprogramação do Encontro contará na sexta-feira (30) e sábado (1) com um momentode análise, depoimentos, e construções coletivas, a partir das 8h no InstitutoDoutor Ramón Rosa, Ceiba, Tocoa. No domingo (2), a partir das 8h, haverá visitade campo e, em seguida, se inicia o Festival “AGUANta Vida” no centro de Tocoa.No último dia haverá Acampamentos de Observação de direitos humanos esolidariedade para grupos ou pessoas que desejem permanecer dois dias ou maisem alguma comunidade.

Acoordenação pede aos interessados que façam sua inscrição o quanto antes etambém informem se tem interesse particular nas visitas ou acampamentos.

Asinscrições, contatos e colaborações podem ser feitas através do endereço:

ConWill Paz -FNRP- Departamento de Colón: cncnoticia@yahoo.es ou por telefone:95.77.93.33. COPINH: antimilitarización@gmail.com; copinh@copinh.org. Artistas emResistência (ARenR): artistaresiste@gmail.com; Telefone: 88.17.07.89.

Maisinformações: http://www.movimientocampesinodelaguan.blogspot.com/ ou http://antimilitarizacion.blogspot.com