Empregada acusada de assassinar patroa em SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de abril de 2003 as 10:28, por: cdb

A empregada doméstica Luzinete de Jesus Santos, de 23 anos, foi presa na tarde desta segunda-feira acusada de estrangular até a morte sua patroa, a professora Luciene Mugnaini, de 52 anos. Em seguida, Luzinete ainda teria ateado fogo em um cômodo, agredido a mãe da professora e tentado fugir com objetos da casa, que fica na Vila Sônia, um bairro nobre da zona sul de São Paulo.

Luciene havia pedido para que Luzinete fosse até a residência porque pretendia acertar as contas da doméstica, que já havia recebido duas cartas informando de sua demissão.

Em depoimento à polícia, a empregada afirmou que teve uma áspera discussão com a patroa, que teria chegado a agredí-la. Luzinete alegou que para se defender, segurou o pescoço de Luciene até perceber que ela havia desfalecido.

Santos então ateou fogo a uma parte da residência e agrediu Rosa Mugnaini, de 83 anos, mãe da patroa. Antes de fugir, a doméstica teria juntado em um saco plástico diversos objetos da casa, como anéis, brincos, cheques, relógios, telefones celulares e uma carteira com R$71,00.

Moradores vizinhos à casa perceberam a fumaça e acionaram o Copro de Bombeiros e dois seguranças particulares da rua, que impediram a fuga de Luzinete e aguardaram a chegada polícia.

À noite, Luzinete foi transferida para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros, onde deve aguardar julgamento.