Em homenagem às vitimas do holocausto, israelenses fazem dois minutos de silêncio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2012 as 12:27, por: cdb
Israel
Sala dos Nomes do Museu e Memorial do Holocausto Yad Vashem, fotografada em 2008

No Dia da Memória do Holacausto, israelenses fizeram nesta quinta-feira dois minutos de silêncio no país. Sirenes foram acionadas em todas as cidades em lembrança aos cerca de 6 milhões de judeus mortos durante o Holocausto (1939-1945) nos vários campos de concentração espalhados pelo mundo. Em Israel, o dia é dedicado ao tema com emissoras de rádio e televisão transmitindo programas especiais e várias solenidades públicas e privadas.

No dialeto ídiche, falado por judeus que tentavam escapar da perseguição nazista, a palavra holocausto é shoá, que significa calamidade. Pela primeira vez, em todas as celebrações, uma delegação de ciganos europeus participa dos eventos. Na 2ª Guerra Mundial (1939-1945), o regime nazista perseguiu e exterminou judeus, ciganos, comunistas, homossexuais, entre outros grupos sociais.

Na cerimônia hoje, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, alertou que as ameaças existentes contra o país e o mundo se concentram no programa nuclear iraniano. “A verdade é que um Irã com armas nucleares constitui uma ameaça existencial para o Estado de Israel”, disse.

Elie Wiesel, que sobreviveu ao Holocausto, criticou a comparação feita pelo primeiro-ministro israelense. “O Irã é um perigo, mas afirmar que está criando um segundo Auschwitz [um dos campos de concentração mais conhecidos do período nazista]? Eu não comparo nada ao Holocausto”, disse ele, classificando a comparação de “inaceitável”.

Comments are closed.