Eletrobras inicia operação de substituição da tampa do reator de Angra 1

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de janeiro de 2013 as 14:53, por: cdb
Além da troca da tampa do reator e o reabastecimento, serão realizadas inspeções diversas
Além da troca da tampa do reator e o reabastecimento, serão realizadas inspeções diversas

No último sábado, Angra 1 foi desligada do Sistema Interligado Nacional (SIN) para que seja feita a troca da tampa do reator componente importante do circuito primário de uma usina nuclear – e o reabastecimento de combustível. Trata-se de uma parada programada, em comum acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), com previsão de duração de 56 dias.

Foram contratadas firmas nacionais e estrangeiras que estão disponibilizando trabalhadores temporários para dar suporte aos profissionais da Eletrobras Eletronuclear. Durante a fase crítica do projeto, até 1.500 trabalhadores estarão envolvidos na realização das atividades planejadas para o período.

O superintendente-adjunto de Angra 1, Abelardo Vieira, afirma que a troca da tampa do reator é uma atividade complexa e que, por isso, o tempo dessa parada será maior do que o normal. “Normalmente, a parada de Angra 1 dura em torno de 35 dias. Mas, dessa vez, a troca da tampa vai ditar o ritmo das atividades. O nosso pessoal está muito bem preparado, e a expectativa é a melhor possível”, ressalta.

Além da troca da tampa do reator e o reabastecimento, serão realizadas inspeções diversas, entre elas: manutenção das turbinas, dos geradores elétricos e das bombas de refrigeração do reator; troca dos termopares de saída do núcleo do reator; substituição do sistema de controle de água de alimentação principal e de nível dos geradores de vapor por um digital; e revisão geral da chave de abertura em carga do gerador elétrico principal.

Funcionalidade da tampa do reator

A tampa faz o fechamento do reator (que contém os elementos combustíveis), sendo uma das barreiras contra a liberação de radiação para o exterior. Adicionalmente, através de aberturas na peça, é feita a monitoração da temperatura e do nível de água de refrigeração dentro do reator. A peça possui um diâmetro interno de cerca de 3,4 metros e peso aproximado de 40 toneladas.

Motivo da substituição

A substituição da tampa do reator se faz necessária porque a peça é feita da liga metálica Inconel 600. Ao longo do tempo, descobriu-se que esse material é suscetível à corrosão sob tensão. “Apesar das inspeções feitas em Angra 1 não terem detectado nenhum indício de degradação, a tendência é que isso aconteça com o passar dos anos. Por essa razão, decidimos fazer a troca forma preventiva”, explica Vieira.