Eleitores de Sorocaba (SP) vão escolher entre ex-prefeitos no segundo turno

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 21 de outubro de 2012 as 10:42, por: cdb

Fernanda Cruz
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – A população de Sorocaba, no interior de São Paulo, está definindo seu novo prefeito com base na experiência: para o segundo turno, optou por escolher entre dois ex-dirigentes do município. A disputa é entre Renato Amary (PMDB), que alcançou 39% dos votos válidos no primeiro turno (127 mil votos), e Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), que obteve 35,6% (116 mil votos).

Renato Amary é advogado e empresário. Foi eleito prefeito de Sorocaba em 1996 e reeleito em 2000. Em 1994, Amary tornou-se deputado estadual, e, em 2006, foi eleito deputado federal por São Paulo. Nas últimas eleições nacionais, em 2010, elegeu-se deputado federal novamente.

Antonio Carlos Pannunzio é engenheiro metalúrgico. Ele foi professor e diretor da Fatec-Sorocaba, do Ciesp, da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Sorocaba e, mais recentemente, presidente da Fundação Memorial da América Latina. Pannunzio é ex-prefeito de Sorocaba (1989 e 1992) e foi deputado federal por 16 anos.

Com 600.692 habitantes, dos quais 427.542 são eleitores, Sorocaba destaca-se como a nona maior cidade do estado de São Paulo. A região, composta por 79 municípios, ocupa 16,5% do território paulista, em uma localização privilegiada, próximo a Campinas e a 87 quilômetros da capital paulista.

O candidato que for eleito no domingo administrará a cidade que possui Produto Interno Bruto de R$ 14,1 bilhões, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2009. Desses, R$ 7,3 bilhões dizem respeito ao setor terciário ou de serviços, e R$ 4,5 bilhões ao setor secundário ou à indústria.

Sorocaba foi conhecida pela sua indústria têxtil, mas diversificou o parque industrial. Atualmente, conta com indústrias de máquinas, siderurgia e metalurgia pesada, automobilística, de autopeças, mecânicas, de equipamentos agrícolas, químicas, petroquímicas e farmacêuticas.

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do município, medido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), é 0,82, considerado elevado.

Edição: Davi Oliveira