Egito diz que não forçará palestinos a voltar para Gaza

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 23 de janeiro de 2008 as 20:19, por: cdb

O porta-voz do Ministério do Exterior do Egito disse à BBC nesta quarta-feira que as forças de segurança do país não vão usar a força para fazer com que milhares de palestinos voltem para a Faixa de Gaza, depois de terem atravessado a fronteira.

Os palestinos deixaram o sul do território nesta quarta-feira através de buracos que militantes abriram com explosivos no muro que delimita a fronteira com o Egito. Testemunhas disseram que guardas egípcios assistiram a tudo sem intervir.

Segundo o porta-voz, Hosan Zeni, o Egito compreende o sofrimento dos palestinos e acredita que os moradores de Gaza foram para o país para comprar gêneros de primeira necessidade, como comida e remédios.

Zeni disse que a fronteira voltará a ser fechada quando todos os palestinos voltarem para casa.
Antes, o presidente do Egito, Hosni Mubarak, disse que havia determinado que os palestinos não fossem impedidos de cruzar a fronteira porque estavam com fome.

Armas

Não se sabe ao certo quantos dos palestinos que atravessaram a fronteira nesta quarta-feira permanecem no Egito.

Produtos essenciais, como alimentos e combustível, se tornaram escassos em Gaza depois que Israel fechou as fronteiras do território, na semana passada, com o objetivo de acabar com os ataques com foguetes lançados do território palestino.

O grupo militante Hamas, que controla Gaza desde junho, já havia pedido ao Egito para abrir a fronteira.

O governo de Israel expressou preocupação com os eventos na fronteira e pediu ao Egito que restabeleça a segurança.

Analistas afirmam que a explosão da cerca é uma questão importante para Israel, já que a fronteira com o Egito é a principal rota de entrada de armas usadas pelos grupos militantes em Gaza.