Educação e alimentos pressionam inflação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de dezembro de 2003 as 22:50, por: cdb

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal no mês compreendido entre 23 de novembro a 22 de dezembro foi de 0,44%, com aumento de 0,02 ponto percentual sobre a taxa apurada na última semana. Dos sete grupos de despesas no varejo pesquisados pela Fundação Getúlio Vargas, cinco mostraram acelerações em suas taxas, sendo as principais  apresentadas pelos grupos Educação, Leitura e Recreação, que passou de 0,81% para 1,19%, devido aos reajustes captados para os Cursos Formais (de 1,14% para 1,72%), e Alimentação, que subiu de 0,16% para 0,34%, pressionado pelos aumentos observados em itens como pescados frescos, panificados e biscoitos, adoçantes e frutas.

No sentido inverso, foram registradas desacelerações nos grupos Transportes (de 0,68% para 0,51%),devido ao preço da gasolina, cuja variação caiu de 0,19% para -0,15%, e Despesas Diversas ( de 4,56% para 2,75%). Este último grupo ainda apresenta a maior variação entre os componentes do IPC-S em função da alta dos jogos lotéricos. Os economistas da FGV salientam, porém, que a desaceleração deste item é sensível e sua influencia será residual na próxima e última apuração do índice referente a 2003, prevista para ocorrer no dia 5 de janeiro de 2004, desaparecendo a partir daí.
Das 12 capitais pesquisadas, 7 mostraram desacelerações. A maior foi registrada em Porto Alegre, cuja taxa caiu 0,18 ponto percentual, passando de 0,47% para 0,29%. Já a maior aceleração foi apurada em Salvador, cuja taxa teve aumento de 0,12 ponto percentual, subindo de 0,13% para 0,25%.