Economista culpa neoliberalismo pelo aumento da pobreza na América do Sul

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 30 de agosto de 2002 as 13:06, por: cdb

A economista, ex-vice-presidenta da Costa Rica, Rebeca Grynspan, afirmou que já se debatem no continente, reformas das reformas econômicas, que já mostraram seus limites no modelo neoliberal e quede nada serviram, pois venderam a nossos países a idéia fundamental de que a abertura de mercado, a segurança social e a flexibilização no trabalho desmantelavam a proteção. Essa idéia só acumulou pobreza, assegurou.

Também explicou que a meta de reduzir a pobreza pela metade em 2015 é algo simplesmente impossível, já que nenhum país poderá crescer 2.3%. O mais grave da situação da região é a desigualdade que há entre povos e comunidades, campo e cidade.

Com o crescimento instável da economia, as mulheres ingressaram maciçamente no trabalho informal, sem proteção social de nenhuma classe, aderindo a trabalhos precários. A visão dos governos neoliberais a curto prazo gerou informalidade no emprego, altas taxas de desemprego produtivo e uma precariedade generalizada que afeta 41% dos lares da América Latina, dos quais 25% estão encabeçados por mulheres.