É preciso interromper o ciclo de violência contra a criança, diz relatora

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de setembro de 2011 as 15:06, por: cdb

A deputada Teresa Surita (PMDB-RR), relatora do Projeto de Lei 7672/10, do Executivo, que proíbe os castigos físicos contra crianças e adolescentes, disse há pouco que o grande objetivo da proposta é interromper o ciclo de violência contra meninos e meninas. “Atualmente, a criança agredida em casa é atendida nos hospitais ou nas escolas, mas acaba voltando para o mesmo ambiente onde sofreu a agressão”, explicou.

O foco do projeto, segundo ela, não está na punição, mas, sim, na advertência e nas ações educativas direcionadas aos pais ou responsáveis.

Teresa participou de audiência pública promovida pela Comissão Especial sobre a Prática de Castigos Corporais. O debate já foi encerrado.

Na reunião, a presidente do colegiado, deputada Erika Kokay (PT-DF), anunciou a intenção de lançar no final de novembro um pacto nacional contra o uso de castigos físicos e tratamentos degradantes na educação de meninos e meninas. A intenção é mobilizar os legislativos estaduais para criarem normas similares ao PL 7672/10.

Tempo real:17:11 – Debatedor quer formação de profissionais para lidar com crianças agredidas16:53 – Juiz questiona eficácia de proibição de castigos corporais contra crianças15:52 – Comissão deve votar em dezembro proibição de castigos físicos em crianças12:49 – Audiência debate problema dos castigos corporais na educaçãoÍntegra da proposta:PL-7672/2010Reportagem – José Carlos Oliveira/Rádio Câmara
Edição – Marcelo Oliveira