É internado jornalista iraniano depois de cinco dias em greve de fome

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de fevereiro de 2003 as 17:06, por: cdb

Um jornalista reformista iraniano que estava preso e que é conhecido por suas ácidas criticas ao líder supremo do país, o aiatolá Alí Jamenei, foi libertado e levado, hoje, para um hospital de Teerã, depois de ficar cinco dias em greve de fome.

Mohamed Mohsen Sazgara “foi libertado incondicionalmente e sem acusações ontem à noite e seu médico decidiu levá-lo hoje para o hospital por alguns dias até que se recupere”, segundo fontes ligadas ao jornalista.

Sazgara foi preso na terça-feira passada depois de publicar um artigo no qual criticava o sistema político do Irã.

No texto, escrito em persa e publicado em uma página na internet na semana passada, Sazgara demonstrava sua grande oposição ao sistema político instaurado no país depois da Revolução islâmica de 1979.

“Os islamitas, durante seu prolongado reinado, criaram um sistema totalmente ineficaz”, destacava o jornalista em seu artigo.

Sazgara, um dos principais defensores do presidente iraniano, o reformista Mohammad Khatami, escreveu no ano passado uma carta pública a Jamenei, na qual perguntava porque a figura mais poderosa do Irã era inalcançável para o povo.

Uma equipe das Nações Unidas investiga as detenções arbitrárias na República Islâmica, na primeira visita de um grupo de especialistas em direitos humanos ao Irã em sete anos.

O setor conservador do regime iraniano, que controla o poder Judicial, o Exército, a Polícia e vários influentes conselhos, fechou mais de 90 publicações e prendeu dezenas de jornalistas e ativistas políticos reformistas nos últimos três anos.