Duhalde confirma desvalorização do peso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 4 de janeiro de 2002 as 18:09, por: cdb

O novo presidente da Argentina, Eduardo Duhalde, confirmou nesta sexta-feira, durante discurso para empresários, que o governo vai desvalorizar o peso. Duhalde afirmou que o fim da paridade entre o peso e o dólar já era tido como certo. Segundo ele, a ação é inevitável.

Durante o discurso, o presidente alertou os empresários para não remarcarem os preços, tentando obter lucros com a desvalorização. A declaração do presidente se antecipa ao anúncio do pacote econômico do novo governo. O plano, que era esperado para a sexta-feira, só será enviado para o Congresso no sábado.

Duhalde não deu mais detalhes sobre o plano. A expectativa é que o pacote inclua uma desvalorização de 30% a 40% do peso. A paridade do dólar e do peso é fixada por lei no país há dez anos. Nesta sexta-feira, o novo governo anunciou que vai converter os empréstimos bancários fixados em dólares para pesos.

O ministro-chefe do Gabinete, Jorge Capitanich, afirmou que o governo poderia fixar limites de preços para produtos básicos para evitar a inflação. O ministro, em uma entrevista na residência presidencial, revelou que a política de âncora monetária da Argentina continuará a ser a taxa de câmbio, que poderá ser alterada após uma década de livre conversibilidade. “A variação ainda não está decidida, mas poderia ser nesse limite”, disse. O governo também tem de decidir se vai manter os limites para saques bancários.

Várias lojas que vendem importados já aumentaram seus preços em antecipação a uma desvalorização.Há hospitais com falta de medicamentos, pois algumas indústrias adiaram as entregas à espera da desvalorização e carregamentos de emergência estão sendo trazidos do Brasil.